Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caso Skripal: Moscovo vai convocar quarta-feira os embaixadores estrangeiros

TASS/GETTY IMAGES

Rússia pretende que os embaixadores estrangeiros apresentem a sua perspetiva sobre o caso do envenenamento do ex-espião russo Sergueï Skripal e da sua filha, em Inglaterra

A Rússia vai chamar na quarta-feira os embaixadores estrangeiros acreditados no seu território para apresentar a sua perspetiva sobre o caso do envenenamento de um ex-agente duplo em Inglaterra, pelo qual Londres a responsabiliza, anunciou esta terça-feira Moscovo.

Os embaixadores são convidados para um "encontro com os responsáveis e os especialistas do departamento encarregado das questões de não-proliferação e controlo de armamento" do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, indicou a porta-voz do ministério, Maria Zakharova.

Esta reunião será dedicada ao caso do envenenamento do ex-espião russo Sergueï Skripal, que traiu a Rússia em favor dos britânicos, e da sua filha Yulia, a 4 de março, em Salisbury, e às acusações de Londres a Moscovo, precisou a porta-voz, citada pela agência pública TASS.

"Está previsto que o ponto de vista da Rússia seja expressado aos representantes oficiais dos Estados estrangeiros, que respondamos às eventuais perguntas e que a Rússia apresente as suas próprias interrogações" relativamente a este caso, acrescentou.

O envenenamento de Sergueï Skripal desencadeou uma grave crise nas relações já glaciais entre Moscovo e o Ocidente e foi seguido da expulsão de 23 diplomatas russos de território britânico - que abandonaram hoje o Reino Unido - e do congelamento das relações bilaterais.

A Rússia, que clama inocência, anunciou, como represália, a expulsão de diplomatas britânicos do seu território e pôs fim às atividades do British Council no país.

Skripal, de 66 anos, e a filha, de 33, encontram-se hospitalizados em estado crítico mas estável, após terem inalado um gás neurotóxico chamado Novichok, de fabrico russo, segundo as autoridades britânicas.