Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Explosões em Austin. Polícia fala em “bombista em série”

SUZANNE CORDEIRO/GETTY IMAGES

Só este mês, quatro bombas explodiram em Austin, no Texas. Duas pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Um “bombista em série” terá estado por trás das explosões, este mês, de quatro bombas em Austin, no Texas, que resultaram na morte de duas pessoas e feriram outras quatro, acreditam as autoridades locais.

“Estamos claramente a lidar com aquilo que julgamos ser um bombista em série”, afirmou esta segunda-feira Brian Manley, chefe da polícia de Austin, em conferência de imprensa. “Detetámos semelhanças entre a bomba que explodiu este domingo à noite e as outras três”, acrescentou.

A explosão mais recente na cidade norte-americana deixou dois homens feridos, de 22 e 23 anos. Citadas pela agência Reuters, as autoridades locais esclareceram que a bomba foi detonada por um fio colocado num passeio junto a uma estrada, um mecanismo mais avançado em comparação com o utilizado para detonar as outras bombas, que se encontravam em pacotes deixados durante a noite à porta de casa das vítimas, no leste da cidade. Duas pessoas morreram então, um homem de 39 anos, identificado como Anthony Stephan House, e um jovem de 17 anos, Draylen Mason. Duas mulheres ficaram feridas.

As autoridades anunciaram uma recompensa de 115 mil dólares (quase 94 mil euros) para quem dê informações úteis que possam eventualmente conduzir à detenção do bombista em série. Mais de 500 agentes, incluindo do FBI e de outras agências federais, estão envolvidos nas investigações, tendo sido já realizados mais de 230 interrogatórios.

A hipótese de se tratar de crimes de ódio, avançada ao longo do mês, começa agora a perder força, uma vez que as vítimas da explosão mais recente, no domingo à noite, são brancas, informou também o chefe da polícia Brian Manley, na mesma conferência de imprensa.