Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vitória certa de Putin: 76% dos votos com contagem quase concluída

Hannah Peters/Getty Images

Contagem dos votos confirma Vladimir Putin como claro vencedor das eleições russas. Taxa de participação terá ultrapassado os 60%

Vladimir Putin acaba de ser reeleito presidente da Rússia com uma diferença esmagadora para os seus adversários. Segundo a agência oficial russa Tass a percentagem deverá rondar os 76%, o que será um recorde pessoal para o próprio Putin, que fica assim eleito para um quarto mandato.

Perto das 23h30 em Lisboa (3h30 em Moscovo), já tinham sido contados 90% dos votos, segundo a Comissão Central de Eleições na Rússia. Essa contagem indica que 76% dos eleitores terão escolhido Putin como seu presidente. Segundo a Comissão, o adversário que fica mais perto do atual presidente é o comunista Pavel Grudinin, com 15,9% dos votos, seguido do ultranacionalista Vladimir Zhirinovsky, com 6,96%.

Putin partiu para as eleições como vencedor pré-anunciado, uma vez que os seus sete adversários tinham percentagens residuais nas intenções de voto. Um dos principais opositores, Alexei Navalny, viu-se impedido de concorrer, numa decisão de um tribunal de primeira instância que depois foi confirmada pelo Tribunal Supremo, por estar a cumprir pena suspena por desvio de fundos. O atual presidente ficará assim aos comandos do país até 2024, quando cumprirá 71 anos.

As últimas atualizações dão conta de que a taxa de afluência às urnas terá rondado os 63,7%. No entanto, a forma como se chegou a este número não é pacífica: por todo o país, sucedem-se denúncias de fraude eleitoral, casos de votos duplicados ou cupões de desconto oferecidos a quem saiu de casa para votar, alegadamente com o objetivo de robustecer a vitória de Putin. A Golos, organização não-governamental de proteção do direito ao voto, contabilizava ao final da tarde de domingo quase 2700 casos de irregularidades. No entanto, a Comissão de Eleições já veio desvalorizar os casos, que disse não serem determinantes para o resultado final.

  • Eleições russas entre a grande afluência à urnas e denúncias de fraude

    Salvo uma grande surpresa, os 107 milhões de eleitores russos vão confirmar nas eleições deste domingo que Vladimir Putin continuará no Kremlin até 2024. Oposição apela ao boicote e denuncia fraudes, enquanto a comissão eleitoral fala de “uma afluência em muitas regiões superior às da eleições de 2012”. As últimas urnas fecham em Kalinegrado pelas 20horas locais (17h em Lisboa), num processo acompanhado por 1500 observadores internacionais, exceto na Crimeia que há exatamente 4 anos foi anexada pela Rússia.

  • Putin, um ditador russo

    O ex-chefe do KGB deve este domingo ganhar, pela quarta vez, as eleições presidenciais, e ninguém sabe quando deixará o poder, ou se jamais o fará. O Expresso conta o seu percurso