Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

As cidades mais cantadas

Lua cheia junto ao Empire State Building que é, como o Rio Hudson que a banha, um dos símbolos da cidade de Nova Iorque

Gary Hershorn / Reuters

Uma análise a cerca de 14 milhões de canções, em várias línguas, revela que Nova Iorque é a cidade mais homenageada pela música. Lisboa, a metrópole portuguesa mais cantada, surge em 54º lugar entre 300 cidades pesquisadas. Este artigo lê-se em poucos minutos, mas demora mais de duas horas a ouvir

Margarida Mota

Jornalista

Nova Iorque é a metrópole que mais inspira os letristas em todo o mundo. Imortalizada pela voz de Liza Minnelli, no filme “New York, New York” (1977), de Martin Scorsese, a Grande Maçã é citada num total de 30.867 canções. De longe, seguem-se duas cidades europeias: Paris e Londres, com 20.007 e 14.805 referências, respetivamente.

As conclusões resultam de uma análise a mais de 14 milhões de letras, elaborada pela empresa Holidu, um motor de busca para casas de férias, com sede em Munique, e Musixmatch, o maior catálogo mundial de letras de músicas e respetivas traduções.

Entre as dez cidades mais mencionadas nas letras de músicas, metade são norte-americanas. Para além de Nova Iorque, Nova Orleães — considerada a capital mundial do jazz — ocupa o quinto lugar, com 8798 referências, e a solarenga Miami aparece na posição seguinte, mencionada em 7809 canções. Em oitavo lugar, surge Atlanta, seguida de Houston.

As restantes cinco do top-10 absoluto são maioritariamente europeias. Para além das capitais francesa e britânica, também a italiana e a alemã inspiram os compositores: Roma surge em quarto lugar (11.859 referências) e Berlim em sétimo (6267).

Num ranking exclusivamente europeu, após Paris, Londres, Roma e Berlim, completam o top-10 Milão, Viena, Amesterdão, Madrid, Veneza e Barcelona.

A primeira cidade fora dos continentes europeu e americano aparece em décimo lugar. Tóquio, a capital japonesa, é citada em 4719 músicas.

A primeira cidade portuguesa surge na 57ª posição. Lisboa é mencionada em 538 canções, seguida por Coimbra, com 49 referências. A tradição fadística contribui fortemente para a distinção de ambas, mas não a esgota, especialmente no caso da capital, como o prova “Lisboa”, de Charles Aznavour. No ranking português, o terceiro lugar é ocupado por Sintra, citada em 44 letras.

Em declarações ao Expresso, Fernando Esteves, “country manager” da Holidu, defende que a música pode ser um bom indutor no momento de escolher um destino de férias. E Lisboa é “um excelente exemplo. Além da arquitetura, história e culinária, muito viajantes escolhem a capital portuguesa devido ao Fado, um estilo musical único que tem as suas raízes nos bairros da cidade. Muitos viajantes têm o primeiro contacto com Lisboa através da música de Amália Rodrigues”.

Arte de rua inspirada pelo Fado, em Lisboa

Arte de rua inspirada pelo Fado, em Lisboa

Antonio J Galante / VW PICS/UIG / Getty Images

Outras cidades são encaradas como destinos de sonho por parte de fãs desejosos de calcorrearem os lugares dos seus ídolos musicais. São exemplos a norte-americana Memphis, onde a propriedade de Elvis Presley é um verdadeiro local de peregrinação — em maio de 2016, Graceland recebeu o visitante 20 milhões —, ou a britânica Liverpool, onde nasceram The Beatles. Neste ranking, Memphis surge na 13ª posição e Liverpool na 40ª.

Havana, a mais recente homenagem

Para este estudo, foram inseridos os nomes de 300 cidades, escritos em inglês, português, italiano, alemão, francês e espanhol. No caso de Lisboa, a pesquisa foi feita também por “Lisbon”, “Lisbona”, “Lissabon” e “Lisbonne”.

De fora ficaram metrópoles cujo nome pode sugerir algo mais do que o nome de uma cidade. Foi o caso da Invicta. Se em “Porto Sentido” não há dúvidas em relação à intencionalidade das palavras de Rui Veloso, já no tema “Ti Porto Via Con Me”, de Jovanotti, a palavra é um tempo verbal — “Levo-te comigo”.

Igualmente, só foram contempladas referências explícitas às cidades. Ou seja, ainda que “Garota de Ipanema”, de Tom Jobim, seja indissociável do Rio de Janeiro, não entra na contabilidade da cidade brasileira já que a letra de Vinicius de Moraes omite o seu nome.

“Garota de Ipanema” é “uma das canções mais interpretadas em todo o mundo em diversas línguas, o que contribuiu imensamente para a popularidade da cidade do Rio de Janeiro e das suas icónicas praias junto dos turistas estrangeiros”, diz Fernando Esteves. “Mas como a música não menciona exatamente o Rio de Janeiro não a contamos no número total para que fosse possível manter a mesma metodologia para todas as cidades.”

Rio de Janeiro surge em 29º lugar na lista das cidades mais musicadas, seis posições atrás da capital de Cuba, a mais recente metrópole a conquistar as “billboards”, pela voz de Camila Cabello e do tema “Havana”.