Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Salvar as poucas pontes que restam

MOHAMMED BADRA/EPA

A guerra dura há sete anos. A magra reconstrução possível também não escapa a interesses geopolíticos

Quando se vive na Síria, não é preciso ser adivinho para pressentir bombardeamentos. Foi por isso que a equipa de arqueólogos e engenheiros do museu Murad Pasha Caravansary, em Maarat al-Numaan (província de Idlib) se preparou para o pior. Isolou os mosaicos do pátio do museu com cola branca e Tyveke, material muito usado no isolamento de prédios em construção, e retirou mosaicos e artefactos para o interior do edifício.

Leia mais na edição deste sábado do Expresso.