Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente eslovaco confia a vice-PM formação de novo Governo

Peter Pellegrini, vice-primeiro-ministro da Eslováquia, vai suceder a Robert Fico como primeiro-ministro do país

DAVID W CERNY / REUTERS

Robert Fico, anterior primeiro-ministro eslovaco, pôs na quarta-feira o lugar à disposição, na sequência do assassínio do jornalista Jan Kuciak, que originou uma profunda crise política no país

O Presidente da Eslováquia, Andrej Kiska, anunciou esta quinta-feira que vai confiar a formação de um novo Governo ao vice-primeiro-ministro Peter Pellegrini, próximo do chefe do executivo demissionário, Robert Fico.

"Vou confiar a Pellegrini a formação de um novo Governo, uma vez que já recebi a carta de demissão do atual Governo de Fico", afirmou Kiska aos jornalistas no final de uma reunião com o vice-primeiro-ministro, em Bratislava.

Robert Fico pôs quarta-feira o lugar à disposição, na sequência do assassínio do jornalista Jan Kuciak, tema que está na origem da profunda crise política em que mergulhou o país.

A demissão de Fico e a nomeação do seu sucessor, membro do partido Smer-SD do primeiro-ministro cessante, deverá ser oficializada esta quinta-feira à tarde quando for recebido por Kiska.

Robert Fico anunciou na quarta-feira que se demitiria para tentar preservar o atual governo de coligação, na condição de que o seu sucessor fosse do seu partido Smer.

O chefe de Estado tinha exigido uma ampla remodelação ministerial ou eleições antecipadas para ultrapassar a crise.

Dezenas de milhares de eslovacos manifestaram-se na semana passada para exigir a demissão do Governo.

A atual crise teve origem no homicídio do jornalista de investigação eslovaco Jan Kuciak e da sua companheira, Martina Kusnirova, cujos corpos foram encontrados no dia 25 de fevereiro em casa. Ambos terão sido executados com um tiro na nuca.
O 'site' da internet Aktuality.sk, onde Kuciak trabalhava, referiu que o jornalista tinha estado a investigar atividades da máfia italiana na Eslováquia, e possíveis ligações com pessoas próximas de Fico.

Este acontecimento já tinha implicado a demissão de dois ministros eslovacos.