Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Militares de Moscovo prolongam tréguas humanitárias em Ghouta oriental

Anadolu Agency/GETTY

Mais de uma centena de civis esperam ser retirados nas próximas horas de Goutha Oriental. Apesar das tréguas, as forças governamentais, apoiadas pelos militares russos, têm bombardeado a região

A Rússia disse esta quinta-feira que prolongou a "pausa humanitária" durante dois dias na região síria de Ghouta oriental, nos arredores de Damasco, anunciou o ministro da Defesa russo.

O major-general Yuri Yevtushenko, citado pela agência Interfax, disse que a trégua desta quinta-feira e de sexta-feira abrange Douma para permitir a retirada de civis, especificando que na quarta-feira saíram da zona 131 pessoas através do corredor humanitário.

O mesmo responsável disse que mais de uma centena de civis esperam ser retirados nas próximas horas.

A Rússia aceitou a pausa humanitária no mês passado, mas até ao momento têm sido poucos os civis a abandonar a região.

De acordo com ativistas de organizações não-governamentais as forças governamentais, apoiadas pelos militares russos, têm bombardeado Ghouta oriental, apesar das tréguas.

Esta quinta-feira, um novo comboio de veículos com ajuda humanitária vai ser enviado para os arredores de Damasco, bastião da oposição síria.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha disse hoje em comunicado que a coluna foi organizada em colaboração com o Crescente Vermelho Sírio e as Nações Unidas dirigindo-se para Duma, a maior cidade de Ghouta Oriental.

Os 25 veículos aguardam neste momento a passagem pelo campo de refugiados palestiniano de Al Wafidin que separa a zona controlada pelo governo de Damasco e a região onde se mantêm forças da oposição ao regime de Bashar Al-Assad.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos indicou que dezenas de bombardeamentos atingiram hoje a parte sul de Ghouta Oriental.
Na sequência dos últimos ataques – levados a cabo por aviões de combate não identificados – pelo menos três pessoas morreram e 83 ficaram feridas.

Kafr Batna, Ain Tarma, Zamalka, Haza, Yisrinb e Hamuriya foram as zonas atingidas hoje em Ghouta oriental.

A maior parte dos civis, cerca de 70 pessoas, ficou ferida quando tentava fugir de Hamuriya durante os bombardeamentos.

A ofensiva governamental apoiada pelas forças russas contra Ghouta oriental prolonga-se desde finais de janeiro tendo-se intensificado desde o dia 18 de fevereiro.