Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Durão Barroso. Bruxelas vai responder à provedora europeia de Justiça “com toda a transparência”

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, à conversa com o porta-voz Margaritis Schinas

Thierry Monasse / Corbis / Getty Images

Porta-voz da Comissão Europeia reitera que a contratação de José Manuel Durão Barroso pelo banco Goldman Sachs respeitou as regras do código de conduta vigente na época (2016) e que entretanto “foi alterado e reforçado”

A Comissão Europeia comprometeu-se esta quinta-feira a responder "com toda a transparência" às recomendações da provedora europeia de Justiça sobre a contratação de Durão Barroso pelo Goldman Sachs e lembrou que as regras do código de conduta já foram reforçadas.

"Vamos responder a todas as recomendações" feitas esta quinta-feira pela provedora europeia de Justiça, Emily O'Reilly, disse o porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, acrescentando que a questão será abordada "num espírito de transparência".

"Tomámos nota das recomendações e responderemos no prazo indicado", disse ainda, na habitual conferência de imprensa diária.

O porta-voz reiterou ainda que a contratação de José Manuel Durão Barroso pelo banco Goldman Sachs respeitou as regras do código de conduta vigente na época (2016) e que entretanto "foi alterado e reforçado".

A provedora europeia de Justiça recomendou esta quinta-feira que a contratação de Durão Barroso pelo Goldman Sachs seja reavaliada pelo comité de ética da Comissão Europeia, após um encontro do ex-presidente com o comissário Jyrki Katainen.

Ao executivo comunitário é ainda aconselhado que "considere requerer ao seu antigo presidente que se abstenha de fazer lóbi junto da Comissão durante alguns anos".

O documento inclui ainda sugestões, como a de ser dada ao Comité de Ética autoridade para atuar por sua iniciativa sempre que for apropriado e aumentar o número de membros que o integram.

Bruxelas tem até dia 6 de junho para responder à provedora.