Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Seul lembra que “ainda só estamos na linha de partida” para a desnuclearização da Coreia do Norte

Handout

Num encontro com os partidos políticos sul-coreanos, o Presidente referiu ainda que “as conversações só serão exequíveis quando a Coreia do Sul e os Estados Unidos tiverem posições comuns” sobre esta matéria

O Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, declarou esta quarta-feira que é “demasiado cedo para se estar otimista” quanto à aparente disponibilidade da Coreia do Norte para discutir a sua própria desnuclearização com os Estados Unidos da América, como Kim Jong-un propôs ontem num encontro com uma delegação sul-coreana que se deslocou a Pyongyang.

“Ainda só estamos na linha de partida”, disse Moon aos líderes dos diferentes partidos políticos sul-coreanos, depois de os seus enviados à capital norte-coreana terem revelado que Kim está disposto a abordar com o Ocidente os programas nuclear e de mísseis que tem estado a desenvolver nos últimos anos.

No mesmo encontro, o chefe de Estado sul-coreano rejeitou as acusações de que foram oferecidas contrapartidas secretas à Coreia do Norte para convencer o regime de Kim a sentar-se à mesa de negociações com os EUA, garantindo que está fora da mesa a hipótese de se aliviarem as sanções a Pyongyang como incentivo a Kim – com quem Moon se vai encontrar já em abril.

“Não houve qualquer acordo secreto com o Norte nem haverá presentes para o Norte”, garantiu o Presidente sul-coreano. Sobre o assunto, admitiu ainda que a reaproximação intercoreana, em curso desde o início deste ano, "não será suficiente para alcançar a paz" e que é preciso manter uma estreita cooperação com Washington. Como referiu: "As conversações só serão exequíveis quando a Coreia do Sul e os Estados Unidos tiverem posições comuns" sobre esta matéria.