Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Londres assegura resposta “robusta” se houver “mão russa” no ataque a ex-espião

Leon Neal/GETTY

“Digo aos governos de todo o mundo que nenhuma tentativa para matar um inocente em território britânico ficará sem sanção ou sem castigo”, disse esta terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, assegurou que o Reino Unido dará uma resposta "adequada e robusta" se se confirmar o envolvimento da Rússia no ataque a um ex-espião russo encontrado inconsciente em Inglaterra.

Johnson, que falava na Câmara dos Comuns, confirmou que as duas pessoas encontradas inconscientes no domingo num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra, são o ex-espião russo Serguei Skripal e a filha, Yulia.

"Não estou a apontar culpados, mas digo aos governos de todo o mundo que nenhuma tentativa para matar um inocente em território britânico ficará sem sanção ou sem castigo", disse.

"Se a investigação demonstrar a responsabilidade de um Estado, o governo responderá de forma adequada e robusta", acrescentou.

Skripal, 66 anos, e a filha, 33, estão internados nos cuidados intensivos, em estado crítico, devido à exposição a uma substância ainda não determinada, e um elemento dos serviços de emergência que os assistiu foi também hospitalizado, segundo a polícia de Salisbury.

As autoridades estão a analisar amostras para determinar que substância pode ter sido utilizada e proibiram o acesso a um restaurante e a um 'pub' situados no centro comercial em causa.

A polícia antiterrorista está a dar apoio à polícia local na investigação.

Em 2006, Skripal foi condenado na Rússia a 13 anos de prisão por espionagem a favor do Reino Unido. Foi libertado em 2010 no âmbito de uma troca de espiões.

  • Sergei Skripal, antigo coronel dos serviços secretos russos, foi condenado em 2006 a 13 anos de prisão por atos de espionagem, por ter passado informação confidencial ao Governo britânico. Foi perdoado anos depois, no contexto de uma troca de espiões entre os EUA e a Rússia. No domingo, terá sido exposto a uma substância tóxica ainda não identificada, numa cidade no sul de Inglaterra, e encontra-se internado em estado muito grave