Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Daesh divulga vídeo com emboscada que matou tropas norte-americanas

Os quatro soldados foram mortos no Níger no início de outubro

Joe Raedle / Getty Images

Imagens disseminadas pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) na aplicação Telegram vêm confirmar aliança com o Jamaat Nusrat al-Islam wal-Muslimin (JNIM), um grupo do Sahel ligado à Al-Qaeda

O autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) publicou, este fim-de-semana, um vídeo na aplicação de telemóvel Telegram com a alegada emboscada de que foram vítimas os quatro soldados norte-americanos que foram mortos no Niger, no ano passado.

O vídeo integra sobretudo filmagens em bruto, incluindo imagens que terão sido captadas pela câmara instalada no capacete de um dos soldados, sugerindo que estes foram mortos num ataque executado por militantes do grupo extremista. O vídeo começa com um grupo de combatentes do Jamaat Nusrat al-Islam wal-Muslimin (JNIM), um grupo sediado no Sahel com ligações à Al-Qaeda, a jurarem fidelidade a Abu Bakr al-Baghdadi, o autoproclamado califa do Daesh, instalado no Iraque e na Síria, em junho de 2014.

A aliança entre os dois grupos jiadistas tinha sido noticiada no mês passado por uma série de analistas mas ainda não tinha sido promovida pelo Daesh nos seus canais de comunicação. As mortes alegadamente retratadas nas imagens tinham causado controvérsia no final do ano passado quando a viúva de um dos soldados abatidos declarou aos jornalistas que o Presidente Donald Trump a fez chorar ao telefonar-lhe para lhe dar as condolências, dizendo-lhe que o marido dela “sabia no que se estava a meter”.

O vídeo em questão mostra vários militantes do Daesh armados a andar e a correr num deserto no que parece ser a preparação para a emboscada. Logo a seguir, veem-se imagens alegadamente captadas pela câmara do capacete de um dos soldados norte-americanos, que mostram um deles a ser abatido durante uma troca de tiros que continua até os outros três morrerem.