Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Batalha do aço? May “preocupada” com ameaças Trump

May foi a primeira líder estrangeira a visitar Trump na Casa Branca em janeiro, altura em que se congratularam com a "relação especial" entre os EUA e o Reino Unido

Christopher Furlong

A primeira-ministra britânica transmitiu este domingo a Donald Trump a sua “profunda preocupação” com a intenção do Presidente dos Estados Unidos de impor taxas às importações de aço e alumínio

A primeira-ministra britânica, Theresa May, transmitiu hoje a Donald Trump a sua "profunda preocupação" com a intenção do Presidente dos Estados Unidos de impor taxas às importações de aço e alumínio, informou fonte oficial.

"A primeira-ministra transmitiu a nossa profunda preocupação face ao anúncio do Presidente de [impor] taxas ao aço e alumínio e disse que uma ação multilateral é a única forma de resolver o problema do excesso de capacidade", afirmou um porta-voz do número 10 Downing Street, a residência oficial dos chefes dos governo britânico.

O diretor da UK Steel, a associação britânica do setor siderúrgico, Richard Warren, disse na sexta-feira que a questão das taxas pode ter "impacto" na economia do Reino Unido.

Trump anunciou na semana passada a intenção de impor taxas de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio, o que causou preocupação na comunidade internacional.

Segundo Trump, a produção norte-americana foi "dizimada" por políticas "injustas" de comércio, e os EUA não podem permitir que o resto do mundo "continue a aproveitar-se".

De acordo com dados do governo britânico, a indústria do aço gerou 1.600 milhões de libras (cerca de 1.796 milhões de euros) em 2016, o que representa cerca de 0,1% da economia do Reino Unido.