Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Televisão oficial síria revela abertura de canal humanitário em Ghouta oriental

Região de Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco, controlada pelos rebeldes da oposição e cercada pelas forças do regime desde 2013

AMER ALMOHIBANY

A televisão de Damasco difundiu imagens do corredor humanitário estabelecido pelas autoridades para a saída de civis que pretendam abandonar Ghouta oriental, apesar de ainda não ter sido utilizado até ao momento

Uma nova pausa humanitária de cinco horas começou esta quinta-feira em Ghouta oriental, nos arredores de Damasco, indicou a televisão oficial síria.

Nos últimos dias o período estabelecido para as tréguas foi precedido de intensos bombardeamentos que atingiram a zona destinada à retirada de civis.

Segundo o canal oficial do regime de Damasco, o início das tréguas humanitárias iniciou-se às 9h (7h em Lisboa) e vai prolongar-se até às 14h (12h em Lisboa).

A televisão de Damasco difundiu imagens do corredor humanitário estabelecido pelas autoridades para a saída de civis que pretendam abandonar Ghouta oriental, apesar de ainda não ter sido utilizado até ao momento.

Nos últimos dois dias, as notícias da estação de televisão governamental referem que o corredor humanitário foi atacado por "organizações terroristas" que tentam impedir a retirada de civis.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos indicou esta quinta-feira que se verificaram bombardeamentos por aviões de combate não identificados contra as populações de Duma, Kafr Batna e Yisrin, Ghouta oriental, antes do início da trégua.

Segundo a organização não-governamental com sede em Londres a localidade de Harasta foi atingida pela artilharia de campanha do Exército sírio.

Paralelamente, continuam os combates entre a fação do Exército do Islão e as tropas governamentais em Hush al Dauahira, onde os efetivos de Damasco tentam um avanço terrestre.

As pausas humanitárias por períodos de cinco horas em Ghouta oriental foram propostas pela Rússia, país aliado da Síria.

Segundo Moscovo, a iniciativa está vinculada à resolução que foi aprovada no passado sábado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas e que prevê um cessar-fogo de 30 dias em todo o país.

Os dois primeiros dias da pausa humanitárias na região periférica de Damasco foram marcados por combates em Hush al Dauahira.

Ghouta oriental está a ser alvo de ataques de Damasco desde o dia 18 de fevereiro e que já provocaram 602 mortos, entre os quais 147 crianças e 88 mulheres, segundo os números do Observatório Sírio dos Direitos Humanos.