Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Ninguém no mundo tem algo igual”: Putin apresenta armamento que inutilizaria escudo antimísseis dos EUA

Jornalistas assistem ao discurso anual sobre o estado da nação de Vladimir Putin, em Moscovo

MAXIM SHIPENKOV / POOL / EPA

“Insisto, nenhum país do mundo tem, no dia de hoje, as armas que nós temos. Ponto final”, sublinhou o Presidente da Rússia num discurso sobre o estado da nação, onde aproveitou para anunciar um novo míssil balístico que possui um grande poder de alcance e torna “inútil o escudo antimíssil dos Estados Unidos”

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, apresentou esta quinta-feira armamento militar, como o míssil balístico Sarmat, que tem um "alcance praticamente ilimitado" e torna "inútil o escudo antimíssil dos Estados Unidos".

"Ninguém no mundo tem algo igual, por agora. É algo fantástico!", afirmou Putin durante o discurso sobre o estado da nação.

O seu discurso foi acompanhado de vídeos projetados num ecrã gigante com infografias da trajetória do míssil sobrevoando o território norte-americano e imagens de testes destes projéteis.

"Insisto, nenhum país do mundo tem, no dia de hoje, as armas que nós temos. Ponto final", sublinhou, assegurando que a partir de agora, "o sistema norte-americano antimísseis será inútil e não terá sentido".

"Antes de termos os novos sistemas de armamento, ninguém nos escutava. Escutam-nos agora!", declarou.

Putin assegurou que, se no futuro algum país conseguir desenvolver armamento como o existente na Rússia, "então, os nossos homens já terão inventado algo mais".

O Sarmat (SS-X-30 Satan-2, segundo a NATO) é um míssil intercontinental pesado capaz de transportar entre 10 a 15 ogivas nucleares.

"Os nossos colegas estrangeiros, como sabem, colocaram-lhe um nome notadamente ameaçador, Satan (demónio)", referiu o Presidente russo.

Também revelou que o exército russo dispõe, desde o ano passado, "de complexos com armas 'laser' e armas hipersónicas", citando ainda novos mísseis de cruzeiro que tem um alcance ilimitado.

"Não mostrei hoje todas as armas que temos. Por hoje, é o suficiente. Confio que tudo o que disse na minha mensagem sirva para acalmar a qualquer potencial agressor", asseverou.