Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bill Gates avisa: a criptomoeda está a matar gente

Chesnot/Getty Images

A afirmação surgiu numa discussão pública e foi imediatamente criticada

Luís M. Faria

Jornalista

Bill Gates acha que as criptomoedas são perigosas. Falando na rede social Reddit (numa sessão de AMA - Ask Me Anything – onde os participantes podem dirigir quaisquer perguntas a uma pessoa, com frequência uma celebridade) , o fundador da Microsoft enfatizou o potencial de moedas como a Bitcoin para facilitar a vida aos criminosos.

“A principal característica das criptomoedas é o seu anonimato. Não acho que seja bom", disse Gates. "A capacidade de um governo descobrir lavagem de dinheiro evasão fiscal usadas para financiar terrorismo é uma coisa boa".

Gates acrescentou: “Neste momento, as criptomoedas são usadas para comprar fentanilo e outras drogas, portanto é uma tecnologia rara que já causou mortes de uma forma bastante direta. Acho que a onda especulativa em torno das OIM (Ofertas Iniciais de Moedas) e cirptomoedas é superarriscada para quem embarca nisso” (recentemente, o investidor Waren Buffet, um dos homens mais ricos do mundo, falou da criptomoeda como uma miragem).

Um participante lembrou a Gates que a droga por ele referida também se podia comprar com dólares. Resposta: “Sim, dinheiro anónimo é usado para esses tipos de coisas, mas uma pessoa tem de estar fisicamente presente para o transferir, o que torna difícil o pagamento de resgates, por exemplo”.


Correto, mas ingénuo?

Essas declarações suscitaram logo muitas críticas, embora alguns dos críticos admitam que Gates não está completamente errado. “Até certo ponto é verdade, mas extremamente ingénuo”, disse à revista Newsweek o CEO da CryptoCompare, uma firma de análise de dados. Notando que as situações descritas por Gates já se começaram a reduzir desde que a maioria das transações passaram a ser legítimas, Charles Heyter lembrou que o dólar também não é isento de problemas.

Outros críticos lembraram que os consumidores de droga - ou quem procura outros serviços ilegais, até mesmo assassínios por encomenda, como já aconteceu com pagamento em criptomoeda - vão sempre descobrir maneira de os arranjar, com ou sem criptomoeda. Estas, especialmente no Terceiro Mundo, funcionam como um útil substituto dos bancos para muita gente não têm acesso a estes. A única alternativa até agora eram intermediários pouco escrupulosos.

De qualquer modo, o futuro previsível da Bitcoin - a criptomoeda por excelência, a propósito da qual têm surgido muitos dos debates - não vai ser uma ascensão permanente. Após uma subida vertiginosa em poucos anos, a Bitcoin teve recentemente grandes quedas. Atualmente uma unidade vale cerca de 10900 dólares (8928 euros), após ter chegado a rondar os 20 mil dólares.

Um dos fatores que explicam a queda é a inevitabilidade de dentro em breve serem instituídas formas de regulação mais exigentes. Afinal, a Bitcoin é uma forma de dinheiro e enquanto tal está longe de ser inofensiva, como qualquer outra.