Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Recapturado preso que fugiu fazendo-se passar pelo irmão gémeo

Aconteceu no Peru e põe fim a um caso que embaraçou as autoridades do país

Luís M. Faria

Jornalista

Um preso peruano que há um ano fugiu da cadeia trocando de roupa com o seu irmão gémeo foi capturado em Callao, uma cidade portuária próxima da capital, Lima. Alexander Delgado Herrera, de 27 anos, tinha sido condenado por violação de menores e roubo qualificado. A pena eram 16 anos, mas ele cumpriu apenas 2 antes de fugir por meio de um truque ardiloso.

Os factos passaram-se em janeiro do ano passado. Segundo a versão apresentada na altura pelo irmão gémeo Giancarlo, Alexander convidou-o a ver a sua cela durante uma visita. Uma vez lá, ofereceu-lhe uma bebida que o fez adormecer. As autoridades encontraram-no horas depois no chão da cela. Alexandre tinha trocado de roupa com ele e usado o seu bilhete de identidade para atravessar meia dúzia de controlos internos até chegar ao exterior do edifício.

Situada em Piedras Gordas, a norte de Lima, a prisão era considerada de alta segurança. Marisol Pérez Tello, ex-ministra da Justiça, manifestou o seu choque: “É alucinante. Em 12 anos, ninguém fugiu de Ancón I”. Alexander tornou-se um dos presos mais procurados do país, e as autoridades ofereceram uma recompensa de 20 mil soles (4923 euros) por informações que levassem à sua captura.

Em relação a Giancarlo, a polícia já na altura não ficou convencida. Segundo um porta-voz da Divisão de Investigação de Sequestros, “o irmão sabia o que estavam a fazer. Sabia que receberia uma pena menor por se fazer passar por vítima, ao dizer às autoridades que o irmão o tinha adormecido. Tratou-se de uma estratégia bem montada pela família, os irmãos e a assessoria legal de Alexandre”.

Giancarlo chegou a estar em prisão preventiva por suspeita de favorecimento de fuga, uma forma de crime contra a administração da justiça, punida com prisão até quatro anos. Mas acabou por ser libertado e disse que não estava zangado com o irmão. Quanto a Alexandre, explicou agora que só fugiu porque queria estar com a sua mãe. Ao que tudo indicia, deverá transferido para uma prisão de segurança máxima que fica a 5 mil metros de altitude em Challapalca, no sul do país.