Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Encontrados restos mortais de menor lusodescendente desaparecida em França

Principal suspeito disse que matou involuntariamente a lusodescendente de nove anos e indicou às autoridades o local onde terá colocado o corpo da vítima

Helena Bento

Jornalista

As autoridades francesas confirmaram esta quarta-feira ter encontrado os restos mortais de Maëlys de Araújo, a lusodescendente de nove anos que desapareceu num casamento em Pont-de-Beauvoisin, em França, no final de agosto do ano passado.

Depois de ter sido descoberta uma mancha de sangue de Maëlys no carro de Nordahl Lelandais - ex-militar francês, de 34 anos, dado como o principal suspeito -, este confessou o crime e indicou às autoridades o local onde terá colocado o corpo da vítima, explicou Jean-Yves Coquillard, procurador da comuna francesa de Grenoble. “O advogado foi visitar o cliente terça-feira e Nordahl Lelandais pediu aos juízes de instrução para o ouvirem hoje porque tinha revelações a fazer e queria levar a justiça ao local onde colocou o corpo de Maelis”, disse ainda o procurador, em conferência de imprensa, segundo o qual foi encontrado o crânio da vítima, entre outros restos mortais.

Às autoridades, Nordahl Lelandais terá alegado que matou Maëlys involuntariamente no dia do casamento, a 27 de agosto do ano passado - mas ainda não se sabe o local exacto do crime - e que se desfez do corpo em Chartreuse, zona de floresta na região dos Alpes franceses. O suspeito recusa revelar as circunstâncias da morte e pediu ainda “desculpa aos pais da lusodescendente e aos juízes de instrução.

  • No dia em que o principal suspeito do desaparecimento e morte de Maëlys de Araújo, uma menina lusodescendente de nove anos, terá confessado o crime e está a colaborar com as autoridades francesas, recuperamos uma reportagem, publicada em setembro de 2017, sobre a localidade onde tudo aconteceu durante uma festa de casamento. Depois de a polícia ter encontrado vestígios de ADN da menor no carro do suspeito, este negava qualquer envolvimento no caso