Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump deseja “o melhor” a ex-assessor acusado de violência doméstica. “Ele fez um ótimo trabalho”

Rob Porter (à esq.) acompanhado por John Kelly, chefe do gabinete do Presidente Donald Trump (à dir.)

SAUL LOEB/GETTY IMAGES

Rob Porter, ex-membro do gabinete de Donald Trump, foi acusado de violência doméstica pelas suas duas ex-mulheres a demitiu-se esta semana

Helena Bento

Jornalista

“Desejamos-lhes o melhor. Ele fez um ótimo trabalho na Casa Branca.” Foi assim que Donald Trump se referiu, esta sexta-feira, à demissão do seu ex-secretário da presidência Rob Porter, acusado de violência doméstica pelas suas duas ex-mulheres.

Dizendo-se “surpreendido” e “triste” com as alegações que vieram a público esta semana, sobre os abusos psicológicos e físicos de que foram vítimas Colbie Holderness e Jennifer Willoughby, o presidente norte-americano sublinhou ser importante não esquecer que Rob Porter afirmou-se “inocente”.

O “Daily Mail” divulgou na terça-feira uma ordem judicial que proíbe Porter de se aproximar da sua segunda mulher, Jennifer Willoughby (estiveram casados entre 2009 e 2013), acompanhado de fotografias da sua primeira mulher, Colbie Holderness, com um olho negro que, segundo a própria, resultou de uma das várias agressões que sofreu às mãos do ex-marido. Segundo a CNN, os gestores da Casa Branca de Trump, e em particular o chefe do gabinete do presidente, John Kelly, sabiam que o ex-secretário da presidência já tinha sido acusado de violência doméstica pelas duas mulheres.

Kelly, aliás, referiu-se a Porter como “um homem de verdadeira integridade e honra” já depois de ser conhecido o conteúdo do documento judicial, tendo de seguida emitido um comunicado em que se afirmou “chocado” com as alegações de violência doméstica, consideradas “inaceitáveis”. Manteve no entanto a defesa de Porter.

Rob Porter apresentou a sua demissão um dia depois, considerando as alegações contra si “ultrajantes e completamente falsas”. “Tenho sido completamente transparente e verdadeiro sobre estas vis alegações, mas não irei mais contribuir publicamente para esta campanha conjunta de difamação”, disse o agora ex-assessor da Casa Branca, citado pela BBC.

Já Mike Pence, vice-presidente dos EUA, disse-se “escandalizado” com o comportamento de Porter e garantiu que “nem nesta Casa Branca nem na América há lugar para a violência doméstica”.

  • A queda de (mais) um assessor de Donald Trump

    O secretário da presidência Rob Porter demitiu-se na quarta-feira após as suas duas ex-mulheres o terem acusado publicamente de violência doméstica. Fontes garantem que os altos funcionários da administração, incluindo o chefe de gabinete John Kelly, já conheciam o seu historial de abusos