Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump viu uma parada militar em França e ficou com uma nova obsessão: fazer melhor na América

BRENDAN SMIALOWSKI/ Getty Imges

Decisão não está a cair bem entre os sectores mais críticos de Trump: “Temos aqui um Napoleão em construção”

“Foi um das maiores parada que alguma vez vi”, disse Donald Trump após ter assistido ao desfile de militares durante as celebrações do dia da tomada da Bastilha, em França. O presidente norte-americano gostou do que viu e quer fazer igual. Aliás, quer fazer ainda maior e melhor. “Vamos ter de tentar superar”, terá dito ao Pentágono quando pediu para organizar uma parada em Washington.

Os planos de Trump foram inicialmente divulgados pelos jornal “The Washington Post” e entretanto confirmados pela Casa Branca. “O Presidente apoia incrivelmente os grandes membros da América que arriscam a sua vida todos os dias a manter o nosso país seguro. Pediu ao Departamento de Defesa para pensar numa celebração na qual os americanos possam mostrar o seu apreço”, justificou a porta-voz Sarah Sanders. A preparação da parada, refere a imprensa norte-americana, ainda se encontra na fase “de discussão de ideias”.

Uma das datas que está a ser considerada para a demonstração das forças armadas é a 11 de novembro, quando se assinala o 100º aniversário do fim da Primeira Guerra Mundial.

Mas as opiniões dividem-se. Entre os democratas, a questão de quanto vai custar a parada é das mais faladas. “Que desperdício de dinheiro! Trump parece mais um ditador do que um Presidente. Os americanos merecem melhor”, escreveu Jim McGovern nas redes sociais. “Para ser honesta, fiquei um pouco surpreendida… temos aqui um Napoleão em construção”, disse à CNN a democrata Jackie Speier.

Segundo a CNN, a última grande parada militar norte-americana em Washington aconteceu em junho de 1991, com a celebração do fim da Guerra do Golfo. No dia seguinte, realizou-se outra em Nova Iorque. George Bush era o Presidente e estima-se que tenham sido investidos mais de 10 milhões de dólares (cerca de oito milhões de euros).

Parada militar em Washington a 8 de junho de 1991

Parada militar em Washington a 8 de junho de 1991

Joe Sohm/Visions of America/ Getty Images

As paradas militares da Coreia do Norte são provavelmente as mais conhecidas e talvez as mais recorrentes. Também na Rússia as forças armadas tem por hábito organizar estes desfiles para mostrarem os novos armamentos. Donald Trump também assistiu a um destes eventos na China. Em França, a comemoração do dia da tomada da Bastilha também é frequentemente marcado pelas paradas. Em Portugal, os militares costumam fazer paradas em público em feriados ou datas importantes para a história do país. Outros países, como Reino Unido, Venezuela, Irão e Brasil, também costumam organizar eventos do género.