Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Procuradoria belga entrega suspeito dos atentados terroristas de Paris à justiça francesa

FRANCIS PELLIER / DICOM / MINISTRY OF INTERIOR / EPA

Bakkali é suspeito de ter alugado o BMW utilizado na preparação dos atentados que causaram 130 mortos e mais de 350 feridos na capital francesa, a 13 de novembro de 2015, e também de ter alugado o esconderijo onde foram fabricados os cintos explosivos usados nesse dia

Um dos suspeitos dos atentados terroristas de Paris - em que morreram 130 pessoas em novembro de 2015 - Mohamed Bakkali, foi entregue esta sexta-feira às autoridades francesas pela Bélgica, anunciou a procuradoria federal belga.

“Mohamed B. foi esta sexta-feira entregue às autoridades judiciais francesas”, no quadro do inquérito dos atentados de 13 de novembro de 2015, em Paris, mas também do atentado fracassado ao comboio de alta velocidade entre Amesterdão e Paris, em agosto do mesmo ano, esclarece o Ministério Público belga, em comunicado.

Mohamed Bakkali, de 30 anos, considerado o homem que alugou a casa na localidade belga de Schaerbeek, onde foram fabricados os cintos explosivos para os atentados em Paris, estava preso desde o final daquele mês, na Bélgica.

Em 30 de junho de 2016, a justiça belga tinha autorizado a sua entrega à França, na condição de que este, depois de julgado naquele país, fosse reenviado para a Bélgica para aí cumprir pena ou “a medida de segurança que lhe fosse aplicada”.

Bakkali é suspeito de ter alugado o BMW utilizado na preparação dos atentados que causaram 130 mortos e mais de 350 feridos na capital francesa, a 13 de novembro de 2015, e também de ter alugado o esconderijo onde foram fabricados os cintos explosivos usados nesse dia.

Também terá sido A casa onde os irmãos Ibrahim e Khalid El Bakraoui se alojaram antes de se fazerem explodir nos atentados de Bruxelas, que provocaram 32 mortos, a 22 de março de 2016.
O suspeito terá também desempenhado um papel relevante na organização do atentado falhado no comboio Thalys Amesterdão-Paris, a 21 de agosto de 2015.