Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Brigitte Bardot: “maioria” dos casos de assédio sexual são “hipócritas e ridículos”

ERIC FEFERBERG/AFP/Getty Images

A artista francesa diz que algumas atrizes se envolvem com os produtores para conseguirem os papeis e depois, quando contam a história, dizem ter sido assediadas

“Hipócritas, ridículas e desinteressantes”. Assim descreve Brigitte Bardot “uma grande parte” das histórias de assédio sexual que agora são divulgadas. A atriz francesa, em entrevista ao “Paris Match”, garante que nunca foi assediada.

“Muitas atrizes flirtam com os produtores para conseguirem os papeis. Mais tarde, quando contam a história, dizem que foram assediadas… na realidade [fazerem isso] não as beneficia, só as prejudica”, disse Bardot. “Achava que era bom dizerem-me que era bonita ou que tinha um belo rabinho. Esse tipo de elogios são agradáveis”, acrescentou.

A posição de Brigitte Bardot surge poucos dias depois de Catherine Deneuve ter assinado uma carta com mais uma centena de artistas francesas em que se critica os movimentos recentes como o #Metoo e Time’s Up, que consideram ser “uma nova vaga de puritanismo” e “uma caça às bruxas”. “A violação é um crime, mas tentar seduzir alguém, mesmo que de forma persistente, não é. Assim como não é machismo um homem ser cavalheiro”, pode ler-se.