Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ex-xerife Arpaio ressuscita história falsa sobre o local de nascimento de Obama

Ralph Freso/Getty Images

O aliado de Donald Trump, que recebeu o primeiro indulto presidencial e agora se candidata ao Senado americano, garante que a certidão de nascimento do ex-Presidente não é genuína

Luís M. Faria

Jornalista

O ex-xerife Joe Arpaio, que foi condenado por desobediência aos tribunais antes de Donald Trump lhe conceder o primeiro perdão da sua presidência – Arpaio fora um seu apoiante indefetível durante a campanha – é neste momento candidato ao Senado americano. E acaba de ressuscitar o velho mito de que Barack Obama nasceu em África.

Essa história falsa, que foi uma das bases em que Trump lançou a sua carreira política (há anos, ele foi pioneiro do birtherism, um movimento de direita assente nisso), foi rejeitada pelo então candidato a Presidente dos EUA no ano passado, de forma expressa embora relutante. Agora, um dos seus aliados políticos mais polémicos trá-la de volta.

Em 2011, Obama tornou pública a sua certidão de nascimento, atestando o seu nascimento em Honolulu, no Havai. Falando à CNN, Arpaio garante que o documento é falso. “Temos as provas, ninguém fala disso, ninguém vê, mas quando você ou alguém quiser vir cá teremos prazer em mostrar as provas”.

146 milhões de dólares em indemnizações

O ex-xerife, que se tornou originalmente conhecido pela forma desumana como tratava os presos a seu cargo, também alinha com Trump na posição dura em relação à imigração ilegal, e a certa altura recebeu ordens para deixar de fazer o chamado racial profiling – usar a raça das pessoas como critério para lhes pedir identificação ou as submeter a outras ações policiais. Como não respeitou a ordem, foi condenado em processo-crime no verão passado.

Trump perdoou-o logo a seguir, e o ex-xerife fala dele para justificar porque se candidata ao Senado. “Fiquei um bocado incomodado com a forma como algumas pessoas no Senado estão a tratar o Presidente. Acho que posso levar algum sangue novo a Washington”. Quanto ao facto de ter 85 anos, disse: “Andava com uma arma e um distintivo até há pouco tempo, portanto a idade não significa nada. Tenho experiência de vida e senso comum, e tenciono usá-los em benefício do povo do Arizona”.

Arpaio não referiu os múltiplos processos de que foi alvo ao longo dos anos por uma grande variedade de infrações, nem os 146 milhões de dólares (122 milhões de euros) que os contribuintes tiveram de pagar em indemnizações por causa das suas atividades. Uma sondagem realizada após o anúncio da candidatura mostra que ele entrou diretamente para o segundo lugar nas primárias republicanas.