Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Meryl Streep propõe Oprah para Presidente dos EUA

Kevin Winter/GETTY

A atriz não foi a única pessoa a ter essa ideia, que saiu reforçada com discurso da ex-apresentadora na cerimónia dos Golden Globes

Luís M. Faria

Jornalista

Será desta vez que Oprah Winfrey se candidata a Presidente? A ideia tem sido proposta ao longo dos anos, e a extremamente popular ex-apresentadora, hoje empresária, tem sempre dito que não. Mas agora é diferente.

Na cerimónia dos Globos de Ouro, domingo à noite, Winfrey fez um discurso que não seria exagero descrever como presidencial, como muitos dos tópicos habituais no género. Evocou uma história pessoal inspiradora (assistir ao Óscar do ator negro Sidney Poitier em 1964, quando era criança), falou de crimes cometidos contra mulheres negras, dos abusos contra mulheres (“uma cultura de homens poderosos”), elogiou as heroínas da resistência e concluiu numa nota positiva: “Um novo dia está no horizonte”.

O discurso foi tão bem recebido que pouco depois a atriz Meryl Streep, falando ao jornal "Washington Post", disse que Winfrey não tinha remédio. “Esta noite ela lançou um rocket. Quero que se candidate a Presidente. Acho que não tinha intenção de o fazer, mas não tem escolha”.

O que torna diferente a atual situação é que desapareceu o argumento habitualmente usado por Winfrey para não se candidatar. A falta de experiência e conhecimento político, após a eleição de Donald Trump, deixaram de ser razão.

Como normalmente fazem os políticos, Winfrey misturou a denúncia de chagas sociais (racismo, discriminação, abuso) com um tom otimista de esperança no futuro. Streep notou que ela já dirige uma grande companhia – a Harpo Productions, com mais de 12 mil empregados. “Ela podia liderar o país, em vez de o levar para o fundo”, numa alusão pouco disfarçada que contrasta Winfrey com Trump.