Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Formosa: dentista obrigado a pagar €623 mil que a mãe gastou na sua formação

A progenitora assinara com o filho um acordo no qual o futuro dentista se comprometia pagar-lhe 60% do seu rendimento mensal

O Supremo Tribunal da Formosa determinou que um dentista pague 22,33 milhões de dólares da Formosa (625 mil euros) à sua mãe, em restituição pelo dinheiro que esta gastou a criá-lo e na sua formação.

Em 1997, a mulher assinou um acordo com o filho, na altura com 20 anos de idade, estipulando que este lhe pagasse o correspondente a 60% do seu futuro rendimento mensal, até atingir os 25 milhões de dólares da Formosa (700 mil euros) que ela gastara ao criá-lo e na sua formação profissional.

Posteriormente, o filho recusou-se a cumprir o que tinha ficado decididoi. Alegou ser errado a mãe exigir uma restituição financeira por tê-lo criado e acrescentou que na altura em que firmou o acordo era ainda muito novo. O tribunal havia dado razão ao dentista, mas o Supremo reverteu agora a decisão, rejeitando os argumentos apresentados.

A mulher já tinha firmado um acordo semelhante com o seu filho mais velho, referindo que após o seu divórcio criara sozinha os dois menores e que estava preocupada por mais tarde ninguém assegurar a sua sobrevivência.

Salientando que quando sairam de casa ambos os filhos passaram a ignorá-la, a mulher referiu em tribunal que recebeu cartas das suas companheiras exigindo-lhe que não os voltasse a incomodar. E por isso instaurou um processo contra os dois filhos, há oito anos, exigindo-lhes o cumprimento dos contratos.

O filho mais velho já tinha acordado, entretanto, pagar-lhe uma verba de valor inferior ao que ficou escrito.