Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Puidgemont convida rei de Espanha a corrigir discurso

JAVIER BARBANCHO / Reuters

Em entrevista à agência Reuters, líder do Juntos por Catalunha insta o governo espanhol a permitir-lhe regressar a tempo da sessão inaugural de abertura do parlamento catalão, marcada para 23 de janeiro, para que possa tornar-se o próximo presidente daquela região.

Carles Puigdemont não se esqueceu do discurso pronunciado por Filipe VI no dia 3 de outubro, quando apelou aos poderes do Estado espanhol para acabarem com o que apelidou de “deslealdade inadmissível” da Generalitat. Agora, o líder de Juntos por Catalunha afirma em entrevista à Reuters citada pelo El Mundo, que o rei terá, no discurso de Natal, uma grande oportunidade para começar a retificar a sua posição.

Puidgemont considera que Filipe VI “se equivocou gravemente, porque preferiu ser o monarca do 155 (artigo da Constituição espanhola) e do Governo espanhol, em vez de se assumir como chefe de Estado”. Ao tomar aquela atitude, sustenta o líder do Juntos por Catalunha, o rei abdicou de fazer parte da solução que terá de ser encontrada entre a Generalitat e o Estado. “Praticamente foi a monarquia quem se autoexcluiu de uma solução futura”, garantiu.

O independentista catalão assegurou que está na Bélgica para defender o mandato dado pelos catalães, o que, disse, “não poderia fazer a partir da prisão”. Nesse sentido aponta o que considera ser “a contradição” implícita no facto de poder apresentar-se a umas eleições a pedir a independência da Catalunha, vencê-las, e ir preso por cumprir o compromisso eleitoral.

Nesta entrevista, Puidgemont instou o Governo espanhol a permitir-lhe regressar a tempo da abertura do parlamento catalão, que terá a sua sessão inaugural a 23 de janeiro, para que possa tornar-se o próximo presidente daquela região.

O regresso à Catalunha, afirmou, seria uma boa notícia para a democracia espanhola, para que fosse “restaurada a legalidade democrática que o Governo interrompeu”.