Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Milhares marcham em Bruxelas pela independência da Catalunha

Milhares de pessoas marcham pela independência da Catalunha, em Bruxelas

STEPHANIE LECOCQ/EPA

Carles Puigdemont, ex-presidente do Governo catalão, participa esta quinta-feira numa manifestação em Bruxelas, onde se encontra depois de ter fugido de Espanha há mais de um mês

A marcha foi convocada pela Assembleia Nacional Catalã (ANC) e pela Òmnium Cultural, duas associações que apoiam a independência da Catalunha e procuram desta forma apelar à União Europeia para que tome uma posição sobre a crise política em Espanha.

A polícia belga e os organizadores da manifestação encontraram-se por várias vezes nas últimas semanas para garantir que a iniciativa decorra com normalidade. Segundo as autoridades belgas são esperadas cerca de 50 mil pessoas, um número que poderá vir a ser superior mas com o qual a organização não se comprometeu.

Duzentos e cinquenta autocarros que transportavam manifestantes vindos de Barcelona, chegaram logo às primeiras horas da manhã à capital belga.

Além da sociedade civil foram convocados para a manifestação eurodeputados de “todos os partidos de diferentes países”, assim como as forças pró-independentistas representadas no Parlamento da Catalunha. Carles Puigdemont também participa na iniciativa que deverá terminar por volta das 14h locais (15h em Portugal).

“Queremos expressar o sentimento pró-europeu da sociedade, somos e seremos europeus, queremos participar num projeto comum da União Europeia”, afirmou Augustí Alcoberro da ANC, citado pelo jornal “El País”. Por este motivo, justificou a manifestação como uma forma de pressionar as instituições da UE a tomarem partido e a “salvaguardarem e defenderem a democracia na Catalunha”.