Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Brexit à vista? Há um acordo (quase) fechado

May e Juncker vão encontrar-se esta tarde

Carl Court/GETTY IMAGES

A primeira-ministra britânica vai a Bruxelas esta segunda-feira tentar concretizar a saída para começar a debater as futuras trocas comerciais com o bloco. Fontes da União Europeia dizem que já há acordo quanto à chamada ‘fatura do divórcio’ e aos direitos dos cidadãos. Falta a fronteira irlandesa

Theresa May vai a Bruxelas esta segunda-feira encontrar-se com representantes da União Europeia, entre eles o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, para tentar fechar o acordo de saída do bloco para poder avançar com as negociações sobre a relação pós-Brexit.

A BBC diz que, este fim de semana, foram alcançados acordos quanto à chamada 'fatura do divórcio' e aos direitos dos cidadãos da UE que vivem no Reino Unido mas que a questão da fronteira com a Irlanda continua a ser um espinho nas negociações.

Downing Street já declarou que há "muitas discussões" à vista, isto quando está prestes a terminar o prazo definido por Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, ao Reino Unido para que faça mais concessões.

O Reino Unido quer começar a negociar as relações comerciais com a UE a 27 mas Tusk e outros líderes europeus passaram os últimos meses a sublinhar que só quando houver "progressos suficientes" é que se avançará para essa fase.

Na visita a Bruxelas, a chefe do governo britânico vai fazer-se acompanhar pelo seu secretário para o Brexit, David Davis. Ambos vão encontrar-se com Juncker e Tusk esta tarde, uma reunião definida pelo lado britânico como "uma importante fase" na rota para a cimeira "crucial" que vai reunir os líderes dos 27 Estados-membros em meados deste mês, altura em que definirão se houve progressos suficientes nas negociações de saída.

Tusk já sublinhou que essa fase só começará quando Dublin estiver satisfeita, ou seja, quando houver garantias de que o Brexit não irá trazer de volta uma "fronteira rija", com taxas aduaneiras e controlos fronteiriços, entre a Irlanda do Norte, parte do Reino Unido, e a República da Irlanda, um dos 27 Estados-membros da UE.

No domingo, membros do Partido Conservador de May que defendem um Brexit "duro" e que têm criticado o governo pelas concessões feitas avisaram que Londres não deve ceder mais terreno a Bruxelas nas discussões de saída. Esta segunda-feira, à hora a que May e Davis estiverem reunidos com Juncker e Tusk, a Câmara dos Comuns vai debater, pelo quarto dia, o projeto-lei de saída da UE.