Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Puigdemont diz que UE é um “clube de países decadentes”

Getty

Mudar a União Europeia ou abandoná-la, se esta for a vontade dos catalães: é o que defende o ex-presidente da Generalitat catalã, a menos de um mês antes de ir a votos

A Catalunha deve abandonar a União Europeia, um "clube de países decadentes", classifica o ex-presidente da Generalitat classificou numa entrevista que será divulgada este segunda-feira. Assim, na opinião de Carlos Puigdemont devem ser os catalães a decidir se continuam ou não ligados a um organismo "em que mandam uns poucos, ainda por cima muito ligados a interesses económicos cada vez mais discutíveis", afirma.

Apesar desta opinião, na entrevista ao programa "Tempo da Verdade", do canal público israelita Kan, Puigdemont diz ser favorável à UE e à moeda única, dizendo ainda que pretende trabalhar para modificar o funcionamento da instituição. Estas declarações são um excerto da conversa que foi gravada em Bruxelas e está a ser avançado este domingo pelo jornal espanhol "La Vanguardia".

A entrevista foi conduzida por Henrique Cymerman, que é correspondente da SIC, que, num artigo no "La Vanguardia", adianta ainda que Puigdemont fala sobre as perspetivas para as eleições de 21 de dezembro e sobre a sua própria situação judicial. "Se ganhar as eleições e for investido presidente, poderei ser preso", afirma Puigdemont, classificando a situação de "um paradoxo que a Europa não poderá aceitar". O dirigente catalão diz também que a única solução para a Catalunha é a declaração unilateral de independência e que teme pela própria segurança.