Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump oferece-se para mediar conflito territorial entre o Vietname e a China

Trump aterrou na cidade vietnamita de Danang, onde vai decorrer a cimeira da APEC

YE AUNG THU

O presidente norte-americano afirmou ser "um muito bom mediador e muito bom árbitro" no encontro com o seu homólogo vietnamita e ofereceu-se para intervir na disputa sobre o Mar do Sul da China. Donald Trump parte na noite de domingo para as Filipinas, o fim do périplo asiático

O presidente norte-americano, que está a visitar o Vietname, ofereceu hoje ao seu homólogo daquele país, Tran Dai Quang, a sua disponibilidade para mediar o conflito territorial do Mar do Sul da China.

Num encontro entre ambos em Hanoi, Donald Trump disse ter conhecimento da disputa entre o Vietname e a China sobre as águas estratégicas - em que a China reivindica quase a totalidade do Mar do Sul da China, mesmo contra a apreciação do tribunal internacional da Haia - e afiançou ser "um muito bom mediador e muito bom árbitro".

Trump aludiu também aos problemas nucleares com a Coreia do Norte, afirmando esperar que o presidente chinês seja "uma tremenda ajuda" e revelando que Xi Jinping admitiu vir a endurecer as sanções contra aquele país. "A china pode resolver este problema facilmente e rapidamente", declarou.

Mais tarde, numa publicação no Twitter, Donald Trump questionou: "Porque é que Kim Jong-un me insulta chamando-me 'velho', quando eu nunca o chamei de 'pequeno e gordo'? bom, eu tento ser amigo dele - e talvez um dia isso venha a acontecer."

CIA reitera interferência de Putin

Ainda no Twitter, o presidente norte-americano continuou a falar da questão russa: "Quando é que todos os haters e imbecis vão perceber que ter uma boa relação com a Rússia é uma coisa boa, não é uma coisa má? Estão sempre a fazer jogo político - mau para o nosso país. Queri resolver a Coreia do Norte, Síria Ucrânia, terrorismo, e a Rússia pode ajudar muito!"

No sábado, à margem do fórum de Cooperação Económica da Ásia-Pacífico, que decorreu no Vietname, Donald Trump garantiu acreditar que Putin não interferiu nas eleições presidenciais de 2016. Porém, horas depois, o diretor da secreta norte-americana reiterou que a Rússia teve interferência nesse ato eleitoral.

Num comunicado emitido pela CIA, Mike Pompeo disse manter as conclusões da agência que são a base de um relatório divulgado em janeiro deste ano. Nele afirma-se a ingerência de Moscovo a favor do candidato republicano.

Trump parte este domingo para as Filipinas, onde culmina a viagem asiática.