Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Papel da imprensa na Catalunha debatido em Lisboa

Até que ponto podem e devem os órgãos de comunicação tomar partido? Três veteranos do jornalismo, um português e dois catalães, debatem o papel dos media na crise catalã, quarta-feira às 18h, na Casa da Imprensa.

Pedro Cordeiro

Pedro Cordeiro

Editor da Secção Internacional

Poderão os princípios elementares da prática jornalística ser respeitados em situação de confronto? Eis a questão lançada pela Associação de Estudos Comunicação e Jornalismo, a propósito da crise que se vive na Catalunha. A Casa da Imprensa (Rua da Horta Seca, n.º 20, em Lisboa) acolhe o debate “Os media e a questão catalã”, esta quarta-feira, 8 de novembro, a partir das 18h.

Tem sido mencionado com frequência o alinhamento político de órgãos de comunicação espanhóis e catalães com as fações em conflito. Se títulos regionais como o “Ara” ou “El Punt Avui” não ocultam o seu independentismo, posição que também é apontada ao canal público TV3 (que tem, ainda assim, um dos melhores programas de humor político, o “Polònia”, que goza em igual medida com dirigentes separatistas e unionistas), atitude oposta é constatada em jornais como “El País”, “El Mundo” ou “ABC”, ditos espanholistas, ou na televisão pública TVE. Pelo meio ficam publicações como “El Periódico de Catalunya” ou “La Vanguardia”, mais matizadas.

“Será legítimo que um órgão de informação, sobretudo de natureza pública ou dito de “referência”, admita a existência de condições excecionais e se coloque, assim, explicitamente, ao serviço do poder político?”, perguntam os organizadores desta iniciativa. E, nesse caso, a sua intervenção favorecerá uma resolução negociada ou o agravamento da crise?

O mote para a discussão será dado por três jornalistas: Cesário Borga, Manuel Campo Vidal e Enric Marin. Borga, que foi duradouro correspondente da RTP em Espanha, fará o enquadramento histórico e político da situação. Campo Vidal e Marin, ambos catalães, académicos de prestígio com posições divergentes sobre o tema em liça, assegurarão o contraditório.

Campo Vidal é doutorado em Sociologia pela Universidade Complutense de Madrid e ex-vice-presidente da Antena 3 TV, primeiro canal privado espanhol, baseado na Catalunha. Moderou debates eleitorais entre os antigos primeiros-ministros José Maria Aznar e Felipe Gonzalez e entre o atual chefe do Governo, Mariano Rajoy, o seu antecessor José Luís Zapatero, entre outros. Tem vasta obra publicada e preside à Academia das Artes e das Ciências de Televisão de Espanha e ao Instituto de Comunicação Empresarial, de Madrid.

Já Marín ensina na Universidade Autónoma de Barcelona, de que foi secretário-geral, e dedica-se à Teoria e História da Comunicação. Tambémex-presidente da Corporação Catalã dos Meios Audiovisuais, é colunista de “El Periódico de Catalunya”.