Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sonangol desmente exoneração de Isabel dos Santos

rui duarte silva

A suposta exoneração da filha de Eduardo dos Santos pelo novo Presidente circulou esta manhã na rede Whatsapp, que citava como fonte uma nota de imprensa falsa atribuída à Presidência angolana e assinada por João Lourenço. Leia aqui o texto da nota de imprensa ... que afinal era falsa

A notícia de que Isabel dos Santos tinha sido exonerada da presidência da Sonangol já foi desmentida oficialmente pela petrofífera angolana, citada pela RTP e pelo "Jornal de Negócios".

A alegada exoneração da filha de Eduardo dos Santos pelo novo Presidente circulou esta manhã na rede Whatsapp, que citava como fonte uma nota de imprensa atribuída à Presidência da República de Angola e supostamente assinada pelo Presidente João Lourenço.

O teor do falso comunicado era este:

NOTA DE IMPRENSA
O Presidente da República, João Lourenço, usando da faculdade que lhe confere a Constituição, exonerou hoje, dia 2 de Novembro de 2017, as seguintes entidades que integram o Conselho de Administração da empresa SONANGOL
• Isabel dos Santos – Presidente;
• João Diniz dos Santos – Administrador;
• Kayaya Kahala - Administrador
• Romero Artur Ribeiro – Administrador Executivo;
• Rosa de Jesus Faria de Assis Sousa Araújo – Administradora

Por outro lado o Presidente da República nomeou as seguintes entidades para o referido Conselho de Administração:
• Jefferson Coreia Airosa – Presidente;
• Beethoven Wanga – Administrador;
• Helio Dias de Brito -Administrador;
• Ruca Moreira – Administrador;
• Delcio de carvalho - Administrador

Fonte próxima do MPLA, partido no poder em Angola, disse ao Expresso: "O PR exonerou e nomeou recentemente novos conselhos de administração de várias empresas públicas. Daí a especulação de que na Sonangol também isso teria acontecido".

O ministro do Petróleo de Angola – que detém a tutela da Sonangol – recebe Isabel dos Santos esta sexta-feira.

Pouco depois da ter dado a informação falsa, uma prática que tem sido recorrentes nas últimas semanas em Angola, o canal público português rapidamente fez o desmentido oficial.