Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump está a provocar uma divisão nos EUA só comparável à provocada pela Guerra do Vietname

Chip Somodevilla/Getty Images

Sondagem do Washington Post revela que seis em cada dez inquiridos consideram que a presidência de Donald Trump está a tornar “disfuncional” o sistema político dos EUA

Sete em cada dez dos inquiridos numa grande sondagem, realizada pelo Washington Post em colaboração com a Universidade de Maryland, consideram que a atual divisão da sociedade norte-americana só tem paralelo com as fraturas ocorridas durante a guerra do Vietname. Daqui decorre uma outra constatação, segundo a qual 60% consideram que Trump está a tornar “disfuncional” o sistema político dos EUA.

Após nove meses de um mandato tumultuoso, a sondagem revela, nota o jornal, um olhar cada vez mais pessimista sobre o modo como é conduzida a política norte-americana, com “uma elevada dose de desconfiança em relação aos principais dirigentes e a sua capacidade de compromisso”, bem como uma significativa erosão no orgulho” pelo modo como funciona a democracia nos EUA. O expressivo número de 71% dos consultados mostra-se convencido que a política norte-americana tocou o seu ponto mais baixo.

São dados muito significativos, até por revelarem que as críticas partem também de apoiantes de Trump. 25% dos seus votantes dizem não estarem satisfeitos com o atual funcionamento da democracia.

O homem que se apresentou como antissistema, com o objetivo, enunciado, de recuperar a credibilidade perdida por parte significativa dos cidadãos, tem cavado um grande fosso e contribuído de forma significativa por o desprestígio das instituições. A insatisfação estende-se muito para lá do executivo. Oito em cada dez inquiridos dizem que também o Congresso é “disfuncional” e revelam escassa confiança nas instituições, incluindo os media.

Há um outro dado curioso, relacionado com a perceção da legalidade do ato eleitoral ganho por Donald Trump. Dois terços dos Democratas, sublinha o Washington Post, não acreditam que a eleição tenha sido legítima, contra 9% dos Republicanos. “No conjunto, 42% dos americanos dizem que a eleição de Trump não foi legítima. Comparativamente, apenas 14% dizem que a eleição em 2008 do presidente Barack Obama não foi legítima”.

Há um sentimento geral de desconfiança e a sensação de que a degradação vivida resulta, segundo uma percentagens elevada de inquiridos, do elevado peso do dinheiro na política, da influência dos grandes magnates financiadores das campanhas, do próprio Donald Trump e também dos meios de comunicação social.