Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tailândia proíbe fumar na praia

PORNCHAI KITTIWONGSAKUL/GETTY

O esquema começa por ser aplicado em 20 praias, mas a intenção é estendê-lo às restantes. As beatas chegam a representar um terço do total do lixo

Luís M. Faria

Jornalista

A Tailândia vai proibir fumar na praia. O motivo é a grande quantidade de beatas que os utilizadores deitam na areia, provocando sujidade e problemas ecológicos. Inicialmente a medida aplica-se em 20 praias, mas se der bom resultado a intenção é estendê-la a todas as outras.

Em setembro, um exame na praia de Patong em Phuket revelou que uma média de 0.76 beatas por metro quadrado. Isso traduzia-se em mais de cem mil beatas nos 2,5 quilómetros de extensão da praia - cerca de um terço do total do lixo recolhido. Também as imagens de uma montanha de lixo noutra praia causaram má impressão, dentro do país e não só.

"Os cigarros tem um efeito direto no ambiente natural", disse Jatuporn Buruspat, diretor geral do Departamento de Recursos Marítimos e Costeiros. "As beatas entopem os canais, levando a inundações. Quando os cigarros ficam debaixo da areia durante demasiado tempo, isso também afeta negativamente o ecossistema. E quando os químicos das beatas chegam à água, isso
liberta cádmio, chumbo, arsénico e algum ácido de inseticida que é veneno para o ciclo alimentar natural".

“Não mais isso de acender um cigarro enquanto se anda na praia…”

As praias agora atingidas pela proibição situam-se nas províncias de Phuket, Chon Buri, Prachuap Khiri Khan e Songkhla. Segundo Buruspat, os fumadores vão poder continuar a satisfazer o vício, mas terão de o fazer em áreas especialmente designadas, mais para o interior.

"Terão de deixar as suas beatas em contentores antes de entrar nas praias. Não haverá mais isso de acender um cigarro enquanto se caminha pela praia, pois o mais provável é acabarmos com uma enorme quantidade de beatas deitadas nas praias".

A proibição vem acompanhada por sanções que podem ir até um ano de cadeia e uma multa equivalente a alguns milhares de euros. As autoridades estão a pensar se algo de semelhante se pode fazer em relação aos turistas que deitam beatas ao mar a partir de navios de cruzeiro. O mar ao largo da Tailândia é considerado o sexto mais poluído do mundo.

Quanto aos estimados cem milhões de beatas que entopem as ruas e estradas tailandesas, não será tão fácil encontrar uma solução. Afinal, o país proíbe o cigarro eletrónico (algo que continua a surpreender muitos turistas à chegada). Talvez surjam algumas ideias úteis no congresso internacional sobre lixo marítimo que a Tailândia vai receber entre 22 e 23 deste mês.