Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Os nomes e as histórias de quem morreu no “pior tiroteio da história” dos EUA

Drew Angerer/Getty Images

Hannah, Denise, Jordan, Sonny, Jordan e Bill. Todos eles estavam no domingo no Route 91 Harvest Festival, em Las Vegas. Foram mortos a tiro. Aos poucos, começa-se a conhecer os rostos, os nomes e as histórias daqueles que morreram enquanto se divertiam. Há pais, mães, filhos e irmãos. Há professores, polícias e estudantes. Uma grande parte veio da Califórnia e outros vieram de bem mais longe

Hannah Ahlers, 35 anos

Hannah Ahlers vivia em Murrieta, no estado da Califórnia. Estava no festival com o marido, Brian Ahlers. Ele sobreviveu. Ela morreu com um tiro na cabeça, enquanto dançava. “Era dona de casa e mãe a tempo inteiro”, contou Brian, citado pela CNN. Casados desde muito novos, tinham tem três filhos de três, 11 e 14 anos. Segundo o “LA Times”, Hannah fazia parte de um grupo de paraquedistas e gostava de desportos ao ar livre.

Carrie Barnette, 34 anos

Estava em Las Vegas para festejar o aniversário de uma amiga. Foi uma das pessoas atingidas pelo atirador que começou a disparar do 32.º andar do Mandala Bay Hotel. Por mais de uma década, trabalhou no parque de diversões da Disneyland Califórnia, confirmou a empresa numa nota de condolências, citada pela “Variety”. “Disseram-me que ela tinha sido baleada no peito”, contou a mãe, Mavis Barnette, citada pelo “LA Times”, que a meio da noite foi acordada por uma das amigas da filha para lhe contar o que acontecera.

Denise Burditus, 50 anos

A fotografia foi publicada às 21h22 por Denise Burditus no Facebook. A imagem mostrava-a a sorrir ao lado do marido, Tony, com o Mandala Bay Hotel ao fundo. Os dois vieram de Martinsburg, na Virgínia Ocidental, para assistir ao festival de música country. Denise morreu, Tony sobreviveu. “Perdi a minha companheira de 32 anos, mãe de dois filhos e avó de cinco netos, no tiroteio. Morreu nos meus braços”, escreveu Tony nas redes sociais.

Sandy Casey

Sandy estava noiva desde abril e ia casar em breve. Era professora na Manhattan Beach Middle School, na Califórnia. A sua morte foi confirmada pelo superintendente do agrupamento escolar, citado pela CNN, que a descreveu como apaixonada pelo trabalho e dedicada. No festival estavam vários funcionários, mas nenhum deles sofreu qualquer ferimento.

Thomas Day Jr.

Estava a trabalhar a meio tempo como empreiteiro. Preparava-se para entrar na reforma. No domingo, estava com os quatro filhos, com idades entre os 20 e 30 anos, no Route 91 Harvest Festival, refere o jornal “The Washington Post”. Segundo acrescenta o “LA Times”, a família vivia em Riverside, na Califórnia, e além do festival aproveitaram a viagem para visitar familiares que viviam em Las Vegas.

Dana Gardner, 52 anos

Quando o tiroteio começou, estava com a filha, Kayla. No meio da confusão, as duas acabaram por se separar. Quando se reencontraram, Kayla, que não estava ferida, levou a mãe para o hospital. Dana não resistiu. Trabalhava como secretária nos serviços públicos de São Bernardino. Era na cidade californiana que vivia com a família. “Nunca pensamos que será um dos nossos até saber que realmente é”, disse Bob Dutton, assessor da câmara local.

Angela Gomez, 20 anos

Vivia na cidade californiana de Riverside, onde fez parte de um grupo de teatro infantil e integrou um coro escolar. Durante a escola secundária, foi ainda “cheerleader”. Angela Gomez “adorava estar em cima do palco”, disseram alguns dos seus amigos, citados pelo “LA Times”. Foi uma das pessoas que morreu na noite de domingo, atingida a tiro.

Charleston Hartfield, 34 anos

Era polícia em Las Vegas, mas não estava de serviço no domingo à noite. Aproveitara a folga para ir ao festival. Antes dos primeiros tiros, vindos do 32º andar de um hotel, Charleston publicou uma fotografia do concerto no Facebook. Desta forma muitos dos seus amigos perceberam que se encontrava no recinto do festival e, mais tarde, que tinha sido uma das vítimas. Veterano do Exército, Charleston chegou a ser também treinador de uma equipa de futebol juvenil.

Jennifer Topaz Irvine, 42 anos

De férias em Las Vegas, Jennifer Irvine decidiu ir ao Route 91 Harvest Festival acompanhada por uns amigos. Foi atingida a tiro. Ao lamentar a sua morte, Kyle Kraska, diretor desportivo da “CBS News 8” e amigo de longa data da vítima, deixou um apelo: “Esta violência absurda tem de parar. Todos nós perdemos algo hoje”. Jennifer Topaz trabalhava como advogada em San Diego, na Califórnia. Nos tempos livres, fazia yoga, snowboarding e taekwondo.

Jessica Klymchuk, 34 anos

Estava acompanhada pelo noivo quando tudo aconteceu. Ele sobreviveu e ela morreu, não no momento, mas na manhã seguinte, segunda-feira, já no hospital. Jessica Klymchuk vivia em Valleyview, uma pequena cidade no noroeste de Alberta, no Canadá. Trabalhava numa escola como bibliotecária. Muitas vezes, era também ela quem, ao volante de um autocarro, transportava os alunos para onde fosse preciso. Tinha quatro filhos.

Rhonda LeRocque, 42 anos

Rhonda e o marido, Jason, estiveram no Route 91 Harvest Festival no ano passado, mas demoraram algum tempo a decidir se este ano voltavam ao festival. À última da hora, decidiram que sim, que iriam. Com eles, levaram a filha de seis anos e o pai de Jason. Rhonda foi a única que morreu no tiroteio. Era natural de Tewksbury, no Massachusetts, e trabalhava numa empresa de design.

Jordan McIldoon, 23 anos

As idas a Las Vegas já se haviam tornado uma tradição e o festival de música acontecia a poucos dias do seu aniversário. Foi uma empregada de um dos bares do recinto que esteve com ele nos seus últimos minutos de vida, depois de ter sido apanhado por uma bala. “Senti os seus dedos a apertar-me a mão, mas ao fim de algum tempo deixei de sentir”, contou a empregada à “CBC”. Jordan McIldoon vivia em Maple Ridge, no Canadá. Era filho único.

ROBYN BECK/AFP/Getty Images

Sonny Melton, 29 anos

Enfermeiro na cidade norte-americana de Paris, no estado do Tennessee, Sonny Melton morreu ao salvar a sua mulher, segundo contou a própria numa entrevista à “WSMV”. “Puxou-me e começámos a correr. De repente, ele parou e percebi que tinha sido atingido nas costas”, contou Heather Melton.

Adrian Murfitt, 35 anos

Grande apreciador de música country, Adrian Murfitt, que trabalhava como pescador, sabia que não podia faltar ao Route 91 Harvest Festival. Falou com um amigo de infância e os dois partiram de Anchorage, no Alasca, em direção a Las Vegas. Adrian foi atingido por uma bala e acabaria por morrer junto do amigo, que saiu ileso.

Rachael Parker, 33 anos

Trabalhava há dez anos na Polícia de Manhattan Beach, na Califórnia, como técnica especializada em registos áudio. Morreu já no hospital, informaram as autoridades. Além de Rachael Parker, outros três funcionários da polícia de Manhattan Beach encontravam-se no recinto do festival quando se deu o tiroteio. Um deles sofreu ferimentos ligeiros.

John Phippen, 56 anos

Estava a dançar com o filho, Travis, quando se ouviram os primeiros tiros. Foi atingido nas costas, e o filho, com formação em primeiros socorros, transportou-o de imediato para o hospital. John Phippen acabaria, no entanto, por não resistir aos ferimentos. Natural de Nova Iorque, vivia atualmente em Santa Clarita, na Califórnia, e trabalhava numa empresa de remodelações.

Quinton Robbins

O festival de música country foi a oportunidade para Quinton se reencontrar com a namorada, que já não via há algum tempo. Depois de ser atingido, ela não percebeu logo o que tinha acontecido. Viu-o ficar cada vez mais fraco e desfalecer, conta o “Washington Post”. Achou que se tratava de mais uma crise de diabetes. Morreu-lhe nos braços. O jovem de 20 anos vivia em Henderson, no estado do Nevada.

Lisa Romero Muniz

Além de futebol, gostava de música country e, portanto, o Route 91 Harvest Festival era o único sítio onde podia estar no domingo à noite (embora vivesse a mais de seis horas de distância de Las Vegas, na cidade de Gallup, no Novo México). Trabalhava como secretária numa escola e tinha três filhos: duas raparigas e um rapaz.

Bailey Schweitzer, 20 anos

Tinha a mãe a seu lado enquanto assistia ao concerto de algumas das suas bandas preferidas, no festival de música na cidade norte-americana. Os tiros chegaram de repente e Bailey Schweitzer acabou por ser atingida. Trabalhava há sete meses como rececionista numa empresa de consultoria em Bakersfield, na Califórnia. Na segunda-feira à noite, alguns dos seus amigos e colegas de escola saíram à rua em sua homenagem, com velas nas mãos.

Susan Smith, 53 anos

Trabalhava há mais de 15 anos como administrativa numa escola primária na cidade de Simi Valley, na Califórnia, e, à semelhança de muitas das outras vítimas que têm um espaço neste memorial, era fã de música country. Estava acompanhada por alguns amigos quando se deu o tiroteio. Era casada e tinha dois filhos.

Neysa Tonks, 46 anos

Fora uma viagem relativamente curta para assistir ao concerto daquele que, segundo o “Washington Post”, era um dos seus artistas preferidos, Jason Aldean. Residente em Las Vegas, Neysa Tonks estava no festival com o seu namorado. Ele sobreviveu ao tiroteio, mas ela não, confirmou a empresa de tecnologia onde a vítima trabalhava.

Bill Wolfe Jr., 42 anos

Trabalhava como engenheiro, era casado e tinha dois filhos. Estava no festival com a mulher, Robyn, que sobreviveu sem qualquer ferimento. Viviam em Shippensburg, no estado da Pensilvânia. Nos tempos livres, Bill treinava uma equipa de basebol e outra de wrestling.

Michelle Vo, 32 anos

Muito recentemente, por influência de um familiar, apaixonou-se pela música country. Vivia no sul da Califórnia, em Los Angeles, e trabalhava numa seguradora. “Estamos de luto ao sabermos que um membro da família da New York Life está entre as vítimas mortais”, referiu, em comunicado, a empresa de Michelle.

Kurt von Tillow, 52 anos

Todos os anos ia com a família ao Route 91 Harvest. Este ano, voltou a fazer o mesmo. Quando o tiroteio começou, foi atingido. Não resistiu à gravidade dos ferimentos. A sua irmã e sobrinha estão entre os mais de 500 feridos. A mulher e a filha saíram ilesas. Kurt vivia na Califórnia e trabalhava como condutor de camiões.

PAUL BUCK / EPA

Jenny Parks

Viajou com o marido de Lancaster, na Califórnia, até Las Vegas, tendo como paragem obrigatória o festival de música country. Jenny e Bobby Parks foram apanhados no meio do tiroteio. Ela morreu e ele foi transportado para o hospital, tendo sido entretanto submetido a uma intervenção cirúrgica para remover a bala alojada no braço, informou o tio de Bobby, citado pela CNN. Jenny Parks era educadora de infância e o marido é vendedor de painéis solares.

Brennan Stewart, 30 anos

Segundo o jornal “The Washigton Post”, estava no Route 91 Harvest com a namorada, Gia Iantuono. Era de Las Vegas.

Heather Alvarado, 35 anos

Casada e com três filhos, pensa-se que Heather Alvarado, 35 anos, tenha viajado sozinha ou com amigos para Las Vegas, para ir ao festival de música onde se deu a tragédia. Foi atingida por uma bala e não resistiu aos ferimentos. Vivia no estado norte-americano do Utah.

Erick Silva, 21 anos

Estava no festival a trabalhar, era segurança e acredita-se que tenha sido um dos primeiros a morrer no tiroteio, com um tiro na cabeça. Vivia em Las Vegas e tinha começado a trabalhar há pouco tempo. “Tenho a certeza que morreu a tentar proteger os outros”, disse a sua irmã, Daisy Hernandez, à CNN.

Christopher Roybal, 28 anos

Chegou a Las Vegas, vindo de Colorado Springs com a mãe, para celebrar o seu aniversário. Era veterano do Exército e tinha combatido no Afeganistão. A mãe, Debby Allen, adormeceu e não estava no concerto. Christopher foi sozinho e acabou por ser atingido. Trabalhava num ginásio.

Dorene Anderson, 49 anos

Viajara do Alasca para Las Vegas com o marido e as duas filhas. Seria um fim de semana perfeito e em família não fosse a tragédia que viria a acontecer. Dorene Anderson foi atingida por uma das balas que voaram do quarto de hotel em frente ao recinto e morreu. A família escapou ilesa. A vítima trabalhava como tesoureira numa organização não-governamental em Anchorage, no Alasca.

Jack Beaton, 54 anos

Usou o corpo como escudo para proteger a mulher, Laurie, e acabou por ser atingido e morrer. “Assim que eles se aperceberam do que estava a acontecer, Jack disse a Laurie para se baixar e pôs-se à frente dela para a proteger. Não sei com quantas balas terá sido atingido”, contou o pai de Laurie ao “LA Times”. Naquele domingo, o casal celebrava o seu 23º aniversário de casamento.

Cameron Robinson, 27

Trabalhava como analista. Embora tenha nascido e crescido no Nevada, recentemente Cameron mudou-se para o Utah para viver com o namorado. Horas antes do tiroteio, enviou mensagens à família a dizer que estava tudo bem e que se estava a divertir no festival.

Carrie Parsons

Era fã do cantor Eric Church e foi para assistir ao seu concerto que viajou de Seattle até Las Vegas. Segundo “The Washington Post”, pouco antes do tiroteio publicou uma foto com os amigos na audiência do concerto.

Stacee Etcheber, 50 anos

Quando o tiroteio começou, o marido, polícia em São Francisco, na Califórnia, disse-lhe para correr enquanto ele prestava socorro. No meio da confusão, os dois acabaram por se separar e Stacee Etcheber foi atingida. Trabalhava como cabeleireira e tinha dois filhos.

Kelsey Breanne Meadows, 28 anos

Era, desde 2012, professora substituta num escola secundária em Taft, no estado da Califórnia.