Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump diz que negociar com a Coreia do Norte é uma perda de tempo

Alex Wong/Getty Images

As declarações de Donald Trump foram feitas um dia depois de o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, ter revelado a existência de canais de comunicação entre os EUA e a Coreia do Norte

Helena Bento

Jornalista

Donald Trump, Presidente dos EUA, considera que negociar com a Coreia do Norte é uma perda de tempo.

“Disse a Rex Tillerson que ele está a desperdiçar o seu tempo ao tentar negociar com o Rocket Man [o homem do foguete]”, escreveu Trump na rede social Twitter, referindo-se ao dirigente norte-coreano Kim Jong-Un. Noutra mensagem, publicada posteriormente, Trump aconselhou o secretário de Estado americano a “poupar energias”, uma vez que os EUA “vão fazer o que tem de ser feito”.

As declarações do Presidente foram feitas um dia depois de Tillerson ter revelado a existência de canais de comunicação entre os EUA e a Coreia do Norte. “Temos dois ou três canais abertos com Pyongyang (...) Não estamos no escuro completo. Se pudermos falar com eles, falamos”, afirmou Tillerson, depois de um encontro com o Presidente chinês, Xi Jinping. O secretário de Estado admitiu ainda que tem estado a “avaliar” a disposição de Pyongyang para participar em negociações sobre o seu programa nuclear.

Ao contrário de Trump, que já admitiu não descartar a “opção militar” contra a Coreia do Norte, Rex Tillerson tem favorecido uma abordagem pacífica ao conflito entre os dois países.

Já este domingo, Tillerson disse que o regime de Kim Jong-un não manifestou, até agora, “nenhum sinal de interesse” em dialogar com os EUA ou participar em negociações sobre a desnuclearização.

O mais recente pacote de sanções imposto por Washington à Coreia do Norte, como forma de penalizar o país pelos seus sucessivos testes de armamento, inclui sanções contra oito bancos norte-coreanos e a 26 cidadãos norte-coreanos acusados de contribuir financeiramente para o desenvolvimento do programa nuclear de Pyongyang. Os indivíduos sancionados representam bancos norte-coreanos na China, Rússia, Líbia e Emirados Árabes Unidos. Os seus bens vão ser bloqueados ou passar para o controlo do EUA.