Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um vídeo inesperado: robô conduziu concerto de Verdi com o tenor Andrea Bocelli

Sob a batuta do robô humanoide YuMi, a orquestra filarmónica Luicca executou três peças da ópera de Verdi “Rigoletto”, entre as quais a famosa ária “La Donna è Mobile”

“Nós demorámos algum tempo a perceber os seus movimentos. Quando descobrimos, tornou-se tudo muito fácil”, afirmou o maestro Andrea Colombini, a propósito de o robô YuMi o ter substituído na condução da orquestra filarmónica Lucca, terça-feira à noite, no Teatro Verdi em Pisa, Itália.

Um computador começou por registar os movimentos efetuados por Colombini, para depois o robô replicá-los durante o concerto.

“Foi absolutamente fantástico. E os técnicos foram fantásticos para tornarem tudo perfeito, especialmente a duração e a velocidade do gesto, que é muito importante”, acrescentou o habitual maestro da orquestra em declarações à agência Reuters.

O robô conduziu três das 18 peças apresentadas, entre as quais a famosa ária “La Donna È Mobile, da opera de Verdi “Rigoletto”, durante o concerto, que contou com a participação do tenor Andrea Bocelli.

YuMi, o robô cujo nome deriva da junção dos temos “you and me” (“tu e mim”), não consegue contudo improvisar e bastava que os músicos tivessem introduzido qualquer alteração nos tempos para que o resultado tivesse sido desastroso.