Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tribunal turco ordena libertação de um dos dez deputados pró-curdos

ADEM ALTAN/GETTY IMAGES

Ayhan Bilgen, que é acusado de “ser membro de uma organização armada” e de “incitamento à violência”, deixou esta sexta-feira a prisão de Silivri, em Istambul, onde estava detido desde janeiro deste ano. Foi-lhe aplicada uma medida de coação equivalente à liberdade condicional no sistema judicial português. Entre outras limitações, está proibido de sair do país

Helena Bento

Jornalista

Um tribunal turco ordenou a libertação de Ayhan Bilgen, um dos dez deputados do Partido Democrático dos Povos (HDP) acusados de cumplicidade com a guerrilha curda.

Ayhan Bilgen deixou esta sexta-feira a prisão de Silivri, em Istambul, onde estava detido desde janeiro deste ano, confirmou Osman Baydemir, porta-voz do HDP (partido de esquerda e pró-curdo). Foi-lhe aplicada uma medida de coação equivalente à liberdade condicional no sistema judicial português. Entre outras limitações, está proibido de sair do país.

O deputado curdo é acusado de “ser membro de uma organização armada” e de “incitamento à violência”, segundo a agência semi-estatal turca Anadolu. A procuradoria pede entre oito anos e meio e 23 anos de prisão para o deputado, que irá aguardar o julgamento em liberdade. Em prisão preventiva permanecem ainda nove deputados do HDP, entre eles Selahattin Demirtas e Figen Yüksekdag, que são os dois presidentes do partido e estão presos há dez meses.

Também esta sexta-feira, a procuradoria de Ancara anunciou a abertura de uma investigação a Sezgin Tanrikulu, deputado do CHP (Partido Republicano do Povo, o maior partido da oposição) que levantou recentemente suspeitas sobre a morte de civis na província de Hakkari, no sudeste do país, que terão sido alegadamente atingidos por drones do Exército turco.

Na altura, Nurettin Canikli, ministro da Defesa turco, saiu em defesa do Exército alegando que os drones são “uma arma extremamente eficiente” e que “até hoje não provocaram baixas em nenhum civil, apenas eliminam terroristas”. Palavras que, esta sexta-feira, foram reforçadas pelo Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, numa conferência de imprensa a propósito da sua visita ao Cazaquistão. “Um responsável do maior partido da oposição fez umas declarações sobre drones armados e alegou que estes foram usados para atingir civis. Onde estão os civis? Os drones estão a matar terroristas”, disse Erdogan, garantindo que as forças armadas do país “vão continuar a lutar contra o terrorismo e contra as organizações terroristas”.