Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pelo menos 28 mortos em motim na Índia após condenação de guru religioso

EPA

Gurmeet Ram Rahim Singh estava acusado da violação de duas seguidoras, em 2002. Multidão concentrada junto do tribunal reagiu com violência ao conhecer o veredito, obrigando ao reforço policial

Pelo menos 28 pessoas morreram e 250 ficaram feridas no norte da Índia, após vários motins, que se seguiram à condenação por violação de um popular guru religioso.

Concentrados junto ao tribunal de Panchkula, os seguidores de Gurmeet Ram Rahim Singh insurgiram-se ao conhecer o veredito, informou a policia local.

A multidão em fúria incendiou edifícios governamentais e atacou os agentes da autoridade e jornalistas, danificando carrinhas de televisões e equipamento de transmissão.

A polícia inicialmente utilizou canhões de água para tentar controlar os protestos, mas mais de 15.000 polícias e paramilitares tiveram de ser enviados para a cidade.

“A situação é tensa. Houve fogo posto”, disse o ministro do Interior, Rajiv Mehrishi.
Rahim Singh foi condenado por violar duas das suas seguidoras, em 2002.

Um porta-voz da seita Dera Sacha Sauda, que diz ter 50 milhões de seguidores, pediu entretanto aos seus apoiantes para manterem a calma.

“Vamos analisar as opções legais que existem”, adiantou Dilawar Insan.

Resultado dos desacatos, mais de 1.000 pessoas foram detidas por fogo posto e destruição de propriedade pública.

O guru, que se diz inocente, foi transportado de helicóptero para a prisão central da cidade próxima de Rohtak, onde aguardará a leitura da sentença, marcada para segunda-feira.

A polícia adiantou ainda que a violência surgiu em vários locais, também no Estado do Punjab, vizinho do de Haryana e na capital do país, Nova Deli. Duas estações de comboio, nas cidades de Malout e Balluana e duas carruagens de um comboio vazio parado na estação de Anand Vihar, em Nova Deli, foram incendiadas.