Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Israel acelera construção de barreira subterrânea ao longo da fronteira com Gaza

A construção da barreira pretende impedir que os militantes entrem no território através de túneis subterrâneos

Israel anunciou que vai acelerar a construção de uma barreira subterrânea ao longo da sua fronteira com Gaza, de forma a impedir que os militantes entrem no território através de túneis. Um comandante do exército israelita avançou que a barreira deve estar completa em 2019.

A construção terá 64km de comprimento e alcançará uma profundidade de 40 metros e 6 metros acima do solo, com um custo de 833 milhões de dólares (aproximadamente 709 milhões de euros).

Israel tentou neutralizar a ameaça de túneis transfronteiriços desde a guerra com os militantes em Gaza, em 2014. Durante 50 dias de combates, militantes do Hamas usaram túneis para infiltrar o território israelita em quatro ocasiões, matando 22 soldados. As tropas israelitas destruíram mais de 30 túneis e encontraram mais dois desde o final da guerra.

O conflito deixou pelo menos 2251 palestinianos mortos, incluindo mais de 1462 civis, de acordo com a ONU, e 11.231 feridos. Do lado israelita, morreram 67 soldados e seis civis e 1600 ficaram feridos.

Numa reunião na quarta-feira, Gen Eyal Zamir, das Forças de Defesa de Israel (IDF), disse que a barreira de alta tecnologia seria concluída, mesmo com o risco de conflitos renovados com o Hamas. “Se o Hamas optar por entrar em guerra sobre a barreira, será uma razão digna [para Israel] entrar em guerra. Mas a barreira será construída”, afirmou Zamir, citado pela BBC.

No ano passado, o líder do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, disse que o grupo ainda estava a cavar túneis, sem especificar se estes se estendiam a Israel.

Parte da nova barreira entrará no mar Mediterrâneo, de modo a dificultar os ataques provenientes da água. Durante a guerra de 2014, quatro militantes do Hamas tentaram nadar para atacar uma base do exército israelita, mas foram mortos pelas IDF.