Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Site de encontros para adúlteros vai pagar quase €10 milhões por fuga de informação

MARK BLINCH / Reuters

Em 2015, os dados pessoais de milhões dos seus clientes foram colocados na Internet por um grupo de hackers

Luís M. Faria

Jornalista

O Ashley Madison, um site que facilita encontros adúlteros em dezenas de países, vai pagar 11.2 milhões de dólares (9.75 milhões de euros) a utilizadores seus que tenham sido atingidos por uma fuga maciça de informação em 2015. Hackers roubaram os dados pessoais de milhões de clientes, incluindo nomes, moradas e cartões de crédito. Ameaçaram pôr tudo isso online se a empresa canadiana, que na realidade se chama Avid Media, não encerrasse o Ashley Madison e outro site seu do mesmo género.

Como isso não aconteceu, os dados foram mesmo colocados online. Na altura falou-se bastante sobre as práticas descuidadas da empresa em matéria de segurança. Uma suspeita confirmada quando se soube que, ao contrário do que a empresa assegurava, a informação dos clientes não era apagada nem quando eles pagavam uma taxa especial de cerca de 20 dólares para esse efeito. Estas falhas resultaram numa multa de mais de um milhão de euros imposta pela Comissão Federal de Comunicações, que supervisiona o sector nos EUA.

“Descubra o seu momento”

Entretanto, a Ashley Madison teve outros problemas. Em parte graças a uma antiga empregada que a processou por ter contraído alegadas lesões profissionais quando foi obrigada a criar milhares de perfis fictícios de clientes femininas, soube-se que a gigantesca maioria dos utilizadores da empresa eram homens, e portanto as promessas de ajudar toda a gente a arranjar parceiro ou parceira só podiam ser fraudulentas.

Por estas práticas, a empresa foi objecto de uma investigação separada pelas autoridades. Agora vai pagar uma quantia que corresponde a uma parte substancial das suas receitas, isto se um tribunal aprovar o acordo negociado entre ela e parte dos queixosos que a processaram após a falha de 2015. Não é garantido que aconteça. Afinal, segundo as contas que alguns analistas já fizeram, a soma proposta representa uma indemnização equivalente a cerca de 3 mil euros por cliente. Atendendo ao custo que pode representar um divórcio causado pela revelação de que um dos cônjuges cometeu adultério, muitos clientes não estarão satisfeitos.

Entretanto, na sequência dos escândalos, a empresa mudou de CEO e substituiu "A vida é curta. Tenha um caso", o slogan original da Ashley Madison, por "Descubra o seu momento". O número atual dos seus clientes aproxima-se dos 50 milhões.