Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Próximo Presidente da Índia deverá ser da casta a que chamavam “intocável”

EPA/ HARISH TYAGI

Ram Nath Kovind, proveniente da comunidade dalit, historicamente marginalizada, é considerado o vencedor antecipado, devido ao peso político do partido nacionalista hindu que o apoia, o Bharatiya Janata Party (BJP)

Os deputados indianos votam esta segunda-feira para eleger o próximo Presidente do país. Anuncia-se uma vitória política para o primeiro-ministro Narendra Modi: o candidato que apoia, proveniente da casta dalit (historicamente desfavorecida, considerada baixa e conhecida como “os intocáveis”), deverá ser escolhido para chefe de Estado.
Ram Nath Kovind, antigo advogado de 71 anos, é considerado o vencedor antecipado, devido ao peso político do partido que o apoia, o Bharatiya Janata Party (BJP), de Modi. O Partido do Congresso, principal opositor do BJP e de onde procede o Presidente cessante, Pranab Mukherjee, também escolheu uma dalit como candidata a estas eleições, a antiga diplomata Meira Kumar.
Na Índia a eleição presidencial não se realiza por sufrágio universal, sendo o chefe de Estado escolhido por um colégio eleitoral formado pelos membros eleitos das duas câmaras do Parlamento, os membros eleitos dos parlamentos dos 29 Estados e de dois territórios. São 4896 indivíduos, cujos votos têm valores ponderados consoante os círculos que representam. Os candidatos têm de ser indicados por um mínimo de 50 membros deste colégio e apoiados por 50 outros.
Modi afirmou que esta é uma eleição “histórica”. “É provavelmente a primeira vez em que nenhum partido fez algum comentário indigno ou injustificado sobre o candidato rival”, disse o primeiro-ministro, segundo a agência de notícias AFP. “Não se trata de ciência avançada: Ram Nath Konvid vai ganhar hoje”, disse Praful Patel, líder do Partido Nacionalista do Congresso.

Conquistar o voto dalit

Os analistas avançam que a eleição de Konvid, próximo do movimento nacionalista hindu, reforçará a margem de manobra política do atual chefe do Governo. O apoio dos 200 milhões de dalits (numa população de 1300 milhões de habitantes) será fundamental para o BJP nas legislativas de 2019. O partido, de ideologia nacionalista hindu, é muito impopular entre os muçulmanos, que representam cerca de 14% da população.
“A comunidade dalit tem bases em todo o país, especialmente em todos os grandes estados eleitoralmente significativos”, afirmou Nistula Hebbar, editora política do jornal “The Hindu”. “O voto da comunidade é importante para todos, especialmente para o BJP. Numa democracia, os seus números são muito importantes”, continuou.
Apesar da proteção legal, a discriminação é frequente e os dalits estão entre as comunidades mais pobres da Índia. Deixados à margem da sociedade, muitos não têm acesso à educação e a outras oportunidades.
Na Índia o primeiro-ministro detém o poder executivo e o Presidente ocupa uma posição mais moderadora, acima da disputa política. Também tem um papel orientador no processo de formação de governos. O resultado da eleição presidencial será anunciado na quinta-feira.