Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Irmão do Presidente do Irão preso por crimes de corrupção financeira

EPA/ ABEDIN TAHERKENAREH

A detenção de Hossein Fereydoun chega algumas semanas antes da tomada de posse de Hassan Rohani para o segundo mandato, após a sua vitória esmagadora nas eleições presidenciais de maio

Hossein Fereydoun, irmão e conselheiro especial do Presidente iraniano, Hassan Rohani, foi preso por crimes “financeiros”, anunciou no domingo o porta-voz do Ministério da Justiça, Gholam-Hossein Mohseni-Eje’i. Segundo a agência iraniana Tasnim, citada pelo diário espanhol “El País”, o porta-voz avançou que “têm realizado várias investigações sobre ele e as pessoas que estão relacionadas” e que “alguns estão presos”.

“Um pedido de fiança foi emitido para ele ontem [sábado] e, por não ter garantido a fiança, foi levado para a prisão. Se o fizer, será libertado sob fiança”, disse Mohseni-Eje’i, que acrescentou que a “acusação corresponde a encargos financeiros”.

Fereydoun foi acusado pelo chefe da Organização de Inspeção Geral, Naser Seray, de estar envolvido em grandes corrupções financeiras que envolvem bancos. O acusado foi vinculado a outro caso que envolve Ali Rastegar Sorkheie, gerente do banco Melat, preso num caso de “grande corrupção bancária” pelos Guardiães da Revolução, a poderosa guarda do regime de Teerão.

Durante meses os conservadores pediram a prisão de Fereydoun, tendo o caso sido usado como forma de pressão sobre o Presidente nos últimos debates presidenciais. Durante vários meses, Rohani e os responsáveis do Ministério da Justiça protagonizaram confrontos verbais.

A detenção de Fereydoun chega semanas antes da cerimónia de juramento de Rouhani para o segundo mandato presidencial, após a sua vitória esmagadora nas eleições de maio. Antes da primeira vitória de Rouhani, em 2013, Fereydoun era um diplomata veterano. Foi embaixador do Irão na Malásia durante oito anos e depois diplomata sénior na delegação do país à ONU.