Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

A peculiar explicação do “Guardian” para a surpreendente cover dos Daft Punk do exército francês

Macron riu-se e chegou mesmo a acompanhar o ritmo, enquanto Trump ficou hirto e sisudo mas a poupa do seu cabelo manifestou uma autónoma adesão à batida de “Get Lucky”. Um dia depois de um momento musical inesperado no aniversário da Revolução Francesa, o britânico “The Guardian” apresenta a sua própria e peculiar explicação

“Mas o que tudo aquilo significa? Significa que a França está a armar-se em Grã-Bretanha, é o que é”, escreve este sábado o jornal “The Guardian”, na sua própria e peculiar explicação sobre os motivos que levaram a banda militar francesa a tocar um medley de temas da popular banda gaulesa Daft Punk durante a parada que assinalou o aniversário da tomada da Bastilha, perante o Presidente francês e o seu homólogo norte-americano.

No entender do jornal britânico, a gracinha tratou-se de uma espécie de versão low cost daquilo que Inglaterra fez na abertura dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012, com o grandioso espetáculo que fez alusão aos mais marcantes êxitos da cultura popular britânica.

Só que em lugar dos 27 milhões de libras dessa apresentação, “a exibição da França do seu orgulho nacional deve ter demorado meio-dia a preparar e custado uns 50 euros”, comenta desdenhosamente o artigo do “Guardian”, a propósito da cena que gerou inúmeras reações nos mass media e redes sociais.

Os vídeos, que se tornaram sucessos imediatos no YouTube, mostram Emmanuel Macron e Donald Trump e respetivas primeiras-damas sentados lado a lado no coração de Paris, enquanto assistem à inesperada apresentação da banda militar, que à sua frente toca versões de excertos dos temas “Get Lucky”, “One More Time” e “Harder Better Faster Stronger”.

Enquanto o anfitrião francês se riu e chegou mesmo a acompanhar o ritmo, o seu homólogo norte-americano ficou hirto e sisudo, ainda que a poupa do seu cabelo tenha manifestado uma autónoma adesão à batida dos Daft Punk.