Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Raparigas afegãs obtêm visto para participar em concurso de robótica nos EUA

Getty Images

Inicialmente sem autorização para viajar, as seis jovens da equipa afegã vão, afinal, poder participar no campeonato internacional, após a intervenção de Trump e de um pedido do Departamento de Estado dos EUA

A equipa de jovens estudantes afegãs que viu os seus vistos negados para poderem participar num campeonato internacional de robótica nos Estados Unidos vão, afinal, poder estar presentes na competição. Segundo avançam os media norte-americanos, as jovens já têm autorização para entrar no país.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu às autoridades que repensassem a decisão. De acordo com a Associated Press, citada pela BBC, David Lapan, o porta-voz do Departamento de Segurança Interna, disse que os vistos foram aprovados após um pedido do Departamento de Estado.

A entrada em vigor de parte do veto migratório contra seis países de maioria muçulmana não inclui o Afeganistão. No entanto, equipas do Irão, do Sudão e da Síria, países que constam na lista de Trump, foram autorizadas a participar no campeonato nos EUA. Uma equipa da Gâmbia também não conseguiu obter os vistos necessários para viajar.

Após a rejeição inicial, as seis alunas contavam ter de assistir à competição através de uma ligação de vídeo a partir da sua cidade natal Herat, no oeste do Afeganistão. “Não éramos um grupo terrorista para ir para a América e assustar pessoas”, disse Fatema Ghaderyan, de 14 anos, que pertence à equipa. “Nós só queríamos mostrar o poder e as habilidades das raparigas afegãs aos americanos”, continuou.

“Estou muito grato ao governo dos Estados Unidos e ao seu Departamento de Estado por garantirem que o Afeganistão, bem como a Gâmbia, possam juntar-se a nós para esta competição internacional este ano”, afirmou Joe Sestak, presidente da “First Global”, num comunicado. “Todas as 163 equipas de 157 países obtiveram aprovação nos Estados Unidos, incluindo o Irão, o Sudão e uma equipa de refugiados sírios”, disse Sestak. “Eu não poderia estar mais orgulhoso”.

A “First Global” é a organizadora da competição de robótica que envolve 164 equipas internacionais e que vai decorrer de 16 a 18 de julho. A organização sem fins lucrativos tem como objetivo a promoção da tecnologia.