Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Violência em Hamburgo a um dia da cimeira do G20

Marcha de protesto contra a cimeira do G20, que se realiza nos próximos dois dias em Hamburgo, na Alemanha, ficou marcada por protestos entre polícia e manifestantes

Helena Bento

Jornalista

A um dia do início da cimeira do G20, polícia e manifestantes que desfilavam numa marcha organizada entraram em confronto na cidade alemã de Hamburgo.

A marcha dita anticapitalista, designada “Welcome to Hell”, tinha um trajeto bem definido: da zona histórica de Hamburgo, deveria seguir para a avenida onde a cimeira se irá realizar, mas foi bloqueada pela polícia antes de chegar ao seu destino, o que terá despoletado a violência, explica o britânico “The Guardian”.

A polícia usou canhões de água e gás pimenta para dispersar os manifestantes, que responderam com o arremesso de vários objetos, nomeadamente garrafas e pedras. Uma pessoa foi detida e outra terá ficado gravemente ferida, tendo ainda sido vistos vários médicos a socorrer pessoas nas ruas, de acordo com a BBC, que explica ainda que a marcha foi cancelada depois dos incidentes, ainda que muitos manifestantes tenham optado por permanecer nas ruas. São esperados, no entanto, mais protestos nos próximos dias, que poderão reunir até um total de 100 mil manifestantes, de acordo com os organizadores da grande marcha.

Na sexta-feira e no sábado, é esperada a presença de vários líderes internacionais em Hamburgo, entre eles o Presidente norte-americano, Donald Trump, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, e o Presidente russo, Vladimir Putin. Além da cimeira em si, realizam-se dezenas de reuniões bilaterais.

Mais de 19.000 polícias, apoiados por uma dezena de helicópteros, navios e mergulhadores, foram destacados para Hamburgo para garantir a segurança das 36 delegações internacionais que vão participar na cimeira.