Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Diretora da Amnistia Internacional na Turquia detida pela polícia

Foram também detidos nove ativistas de direitos humanos, que se encontram numa ilha ao largo de Istambul. Instituição exige a libertação imediata dos prisioneiros

A Amnistia Internacional denunciou esta quinta-feira a detenção da diretora executiva da organização na Turquia e de nove ativistas de direitos humanos, que se encontram numa ilha ao largo de Istambul, exigindo a libertação imediata dos prisioneiros.

Idil Eser, diretora da Amnistia Internacional na Turquia, foi detida pela polícia na quarta-feira, na companhia de outros sete ativistas, quando se encontravam numa ação de formação sobre segurança informática em Buyukada.

Até ao momento, a polícia turca não fez qualquer comentário sobre a situação, desconhecendo-se os motivos das detenções.

“Profundamente revoltada”, a organização de direitos humanos considera esta conduta das autoridades turcas “um grotesto abuso de poder e uma escalada na repressão contra os defensores de direitos humanos no país, que se arrasta impunemente desde a detenção, a 6 de junho passado, do presidente da Direção da Amnistia Internacional Turquia, Taner Kiliç, o qual permanece em prisão preventiva por ordem do tribunal emitida a 9 de junho sob acusações injustas e infundadas”.

“Eles [defensores dos direitos humanos] devem ser libertados imediatamente e sem condições”, sublinha a organização não-governamental “sob a acusação absolutamente infundada” de envolvimento no golpe de Estado de 15 de julho de 2016, afirma a organização, em comunicado.