Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Partido do primeiro-ministro do Japão sofre derrota eleitoral histórica

Alex Wong/GETTY

As eleições locais de Tóquio, em que o Partido Liberal Democrático (PLD) de Shinzo Abe perdeu mais de metade dos assentos, foram vistas como um indicador do sentimento político nacional e surgiram após o primeiro-ministro ser atacado por contratempos e escândalos que reduziram a sua popularidade

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, prometeu esta segunda-feira recuperar o apoio público após o seu partido sofrer uma derrota histórica nas eleições para a assembleia legislativa da região metropolitana de Tóquio. Naquele que foi o seu pior resultado de sempre, o Partido Liberal Democrático (PDL) passou de 57 representantes para 37.

As eleições, realizadas no domingo, foram vistas como um indicador do sentimento político nacional e surgiram após Abe ser atacado por uma série de contratempos e escândalos que reduziram a sua popularidade. ”Temos que encarar [o resultado] seriamente como uma crítica severa contra o nosso partido, o PLD”, disse o primeiro-ministro aos jornalistas, na manhã de segunda-feira. “Estou determinado a remodelar o partido para trabalhar em conjunto e recuperar a confiança entre o público através da concretização de realizações”, acrescentou.

Poucos dias antes das eleições, Tomomi Inada, ministra da Defesa do Japão — em nome do seu ministério e das Forças de autodefesa, as forças armadas do Japão —. convocou os eleitores de Tóquio a apoiar o PLD na votação. Os comentários geraram condenação generalizada e o protesto obrigou Inada a retirar o que dissera.

O jornal japonês Yomiuri Shimbun avançou, citado pelo Daily Mail, que “o Governo jamais recuperará a confiança pública… a menos que altere por completo a sua natureza arrogante”.

O resultado eleitoral é uma enorme vitória para a atual governadora, Yuriko Koike, a primeira mulher a dirigir a região da capital e que rompeu com o PLD em 2016, quando o partido não apoiou a sua candidatura. O novo partido político criado por Koike conseguiu conquistar 49 dos 127 assentos, tornando-se o maior grupo na assembleia da capital.

Durante a campanha, Koike acusou o PLD de estar preso a interesses estabelecidos e de ser vulnerável à corrupção. A governadora prometeu uma série de reformas e medidas para que a cidade esteja totalmente preparada para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020.