Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Daesh enfrenta “jogada final” em Mossul

Jack Taylor

Ministro da Defesa do Reino Unido diz que o autoproclamado Estado Islâmico está prestes a ser expulso do seu último bastião no Iraque

O autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) está no "fim do jogo" na cidade de Mossul, a segunda maior do Iraque, a partir de onde o líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi, anunciou a instalação de um califado no Médio Oriente em junho de 2014.

Em declarações aos jornalistas antes de uma reunião da NATO, o secretário da Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, disse que a Força Aérea britânica (RAF) atingiu mais de 700 alvos do grupo no seu último bastião no país, em apoio às forças iraquianas que, no terreno, estão a tentar reaver o controlo da cidade desde outubro. De acordo com Fallon, o grupo extremista também está a perder terreno no seu último bastião da Síria, a cidade de Raqqa.

Na reunião dos chefes da NATO esta quinta-feira, o chefe da Defesa britânico deverá anunciar, segundo a BBC, que vai destacar para o Afeganistão um novo contingente de 85 tropas para treinar as forças do país e impedir mais avanços do Daesh. Neste momento, já há 500 soldados britânicos estacionados no território afegão.

Nos últimos meses, a coligação internacional liderada pelos Estados Unidos tem estado a aumentar o número de ataques aéreos a Mossul, com a RAF a trabalhar ao nível operacional mais elevado dos últimos 25 anos. A par disso, as forças britânicos também atingiram 69 alvos do Daesh em Raqqa, numa campanha de apoio às Forças Democráticas da Síria, que segundo Fallon já alcançaram "progressos irreversíveis" em rota para derrotar o grupo radical.