Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um morto e dez feridos em “potencial ataque terrorista” à saída de mesquita em Londres

NICOLAS ASFOURI / EPA

Condutor da carrinha, um homem de 48 anos cuja identidade ainda não foi revelada, foi detido no local, em Finsbury Park, após ter sido retido pela população

Um homem morreu e pelo menos dez pessoas ficaram feridas na sequência de um abalroamento de peões perto de uma mesquita londrina na madrugada desta segunda-feira, logo a seguir às orações da noite, numa altura em que os muçulmanos de todo o mundo estão a cumprir o mês sagrado do Ramadão.

Um homem de 48 anos, cuja identidade ainda não foi revelada, conduziu uma carrinha branca contra transeuntes pouco depois da meia-noite frente à mesquita de Finsbury Park. Algumas pessoas detiveram-no até a polícia chegar ao local; dali, o condutor foi transportado para um hospital das imediações como "medida de precaução" e, após alta hospitalar, foi levado para uma esquadra a fim de ser interrogado, avançou a polícia metropolitana de Londres.

Num curto comunicado, a primeira-ministra britânica Theresa May disse que a polícia está a lidar com "um potencial ataque terrorista", já depois de Harun Khan, secretário-geral do Conselho Muçulmano Britânico (CMB), ter garantido que o atropelamento foi "intencional". A polícia metropolitana informou, entretanto, que há agentes de contraterrorismo no local.

De acordo com a BBC, muitas das vítimas eram muçulmanos que tinham acabado de abandonar a mesquita depois das orações da noite, em pleno Ramadão. O CMB fala numa "violenta manifestação de islamofobia" e já pediu às autoridades londrinas que reforcem a segurança das mesquitas. Em poucas horas, agentes da polícia extra foram destacados para dar garantias de segurança às comunidades londrinas, sobretudo aquelas que estão a cumprir o Ramadão, disse o autarca londrino. Em comunicado, Sadiq Khan pediu às pessoas que "permaneçam calmas e vigilantes".

"Não sabemos ainda todos os pormenores, mas este foi claramente um ataque deliberado contra londrinos inocentes, muitos dos quais tinham acabado de concluir as suas orações no mês sagrado do Ramadão", sublinhou Khan. "Apesar de parecer ter-se tratado de um ataque contra uma comunidade em particular, tal como os ataques terríveis em Manchester, Westminster e a Ponte de Londres este é também um ataque contra os nossos valores partilhados, a tolerância, a liberdade e o respeito."

Esta manhã, Theresa May estará reunida de emergência com o seu conselho de segurança para debater o incidente. A polícia já assegurou que não houve esfaqueamentos depois de especulações iniciais sobre o condutor estar armado com uma faca. Entre os transeuntes que estavam no local à hora do crime conta-se Abdulrahman Saleh Alamoudi, um homem que estava com outras pessoas a ajudar uma mulher mais velha que tinha acabado de cair quando a carrinha foi conduzida contra eles. Vídeos divulgados online e registados no rescaldo do ataque mostram cenas caóticas com os sobreviventes a tentarem ajudar os feridos. Num deles vê-se um homem a tentar fazer reanimação cardiorrespiratória a uma das vítimas no meio da rua.

Algumas testemunhas dizem que houve mais de um atacante envolvido no atentado perto da estação de Finsbury Park e do estádio Emirates. Contudo, a polícia metropolitana já avançou que, "nesta fase inicial da investigação, não houve mais suspeitos a serem identificados no local nem denunciados à polícia; contudo, a investigação continua."