Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Balanço de mortos no incêndio de Londres atualizado para 79

Leon Neal

As autoridades admitem que o total de vítimas pode subir ainda, uma vez que a investigação prossegue, e reconhecem que alguns dos corpos podem nunca vir a ser identificados

A polícia metropolitana de Londres atualizou para 79 o número de pessoas mortas ou desaparecidas (e presumivelmente mortas) no incêndio na torre Grenfell. As autoridades admitem, contudo, que o total de vítimas pode subir, uma vez que a investigação prossegue.

Numa altura em que a polícia libertou as primeiras imagens do interior do prédio queimado, quem opera no terreno acredita que algumas das vítimas podem mesmo nunca vir a ser identificadas.

“As condições são indescritíveis, devido aos danos causados ​​pelo fogo, e esta será, por isso, uma operação muito longa”, afirmou o comandante Stuart Cundy, citado pelo “The Guardian”. “Devemos preparar as pessoas para a terrível realidade de que algumas pessoas desaparecidas não poderão ser identificadas, por causa da intensidade do fogo”.

Muito criticada após a tragédia, e depois de admitir no fim de semana que a resposta inicial “não foi suficientemente boa”, a primeira-ministra Theresa May anunciou que todas as famílias que perderam a sua casa vão receber um apoio de pelo menos 5500 libras (perto de 6300 euros).

Este domingo, o presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan, classificou o incêndio da torre Grenfell como um “acidente evitável”, que foi causado por uma série de “erros e omissões”.

O autarca falava no final de uma cerimónia religiosa organizada em homenagem às vítimas, numa igreja próxima do edifício de 24 andares, na zona oeste de Londres, que ardeu na passada quarta-feira, e onde viviam entre 400 e 600 pessoas.

“Esta tragédia é consequência de erros e de omissões por parte de responsáveis políticos, da administração local [do bairro] e do governo”, disse Khan à BBC.